O América que eu quero ver em campo. #FicaDudu

Não apareço por essas bandas há quase três meses. Quem freqüenta(va) o blog, sabe que já me expliquei algumas vezes sobre as adversidades que me afastaram das postagens este ano, e que minha incapacidade em dar aos americanos devida atenção em nosso centenário em nada tem a ver com os pífios resultados em campo.

O que me leva a retomar este espaço num momento em que nada mais disputamos é notícia lamentável que passarinho verde-e-branco me trouxe de BH: Dudu está para ser dispensado do América.

Tirando Wellington Paulo, eterno capitão, não encontro em todo o elenco do América deste século, jogador que represente a garra e o empenho que eu, torcedor americano, quero ver em campo. Acho que muita gente irá concordar.

Não estou aqui querendo superestimar seu valor em campo. Dudu não é craque. Dudu não será premiado com a Bola de Outro. Dudu não terá seu nome na lista prévia de candidatos a Melhor do Mundo da FIFA.

Se cartões – vermelhos e amarelos – fossem programa de fidelidade, Dudu seria cliente Platinum, com milhas suficientes para ir à Lua e voltar. Primeira classe.

A mim, mais que o futebol em campo – e já o vi se jogando muito bem em várias partidas –  o que importa é sua presença no grupo, é tê-lo em cada treino, em cada jogo, mostrando vontade, garra, dedicação, incomodando e servindo de contra-ponto a muito come-dorme que o América insiste em contratar.

Eu não troco Dudu por Gilberto ou Marquinhos Paraná. Se têm louros na carreira, não podem dizer o mesmo do futebol apresentado no América.

Eu não troco Dudu por Agenor… Mas é bem verdade que não troco nem um palito de fósforo usado por Agenor.

Eu tenho 32 anos de vida e de América. É óbvio – como qualquer torcedor de futebol, de qualquer clube – que quero ver o América sempre vencendo, liderando, campeão, batendo em Cocotas e Marias. Mas se sou americano há tanto tempo, como sei que vocês também o são, não é apenas por meros resultados campo.

Quero ver o América campeão em campo, mas quero ver o MEU AMÉRICA campeão. Quero olhar para o time em campo e me identificar com a luta que é travada nas quatro linhas. Quero ter a certeza, seja qual for o resultado, de reconhecer naqueles que ali estão carregando nosso estandarte, os guerreiros que defenderão verdadeiramente o meu pavilhão. Sem isso, não acredito que possamos conquistar muita coisa.

Hoje, só vejo o Dudu me representando.

Se a notícia da dispensa realmente se confirmar, temo, sinceramente, pelos resultados futuros.

#FicaDudu

Autor do post:
Henrique Pinheiro

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

4 Comentários

  • Flávio Drummond

    “Onde há fumaça há fogo”!

    É inaceitável, na atual fase do Coelhão, ventilarem a possibilidade de não renovar o contrato do Dudu.

    Sério, manter Agenor e Marquinhos Paraná no grupo e pensar em dispensar o Dudu – UM DOS POUCOS QUE HONRAM O MANTO – é uma sacanagem!

    Ainda que o Dudu tenha jogado pouco este ano, apresente um problema crônico no joelho, ele sabe, como ninguém, o peso da camisa que veste.

    Por fim, quanto a estatísticas, essas não funcionaram no América em 2012, pelo contrário, foram um fiasco sem precedentes.

    Torcedor não quer saber de números para que um atleta seja mantido e sim de resultados dentro do campo.

    O Dudu é infinitamente superior a Agenor, Leandro Ferreira e Marquinhos Paraná. Que critério é esse?

    Chega de erros, Diretoria!

    #FicaDudu!!!

    • Marck Tavares

      Belo texto/manifesto do que é “ser americano” e ter um jogador no clube que represente esse sentimento.

      Concordo com você… Pós Wellington Paulo é Dudu Pitbull o jogador que melhor representa este sentimendo.

      #FicaDudu

      • Leo

        Se isso for realmente verdade, vem apenas confirmar o que, já há bastante tempo, temos observado:
        O total desrespeito da diretoria com a instituição América e com sua torcida!
        #FicaDudu!!!

        • Leo

          #FicaDudu!!!