Bahia está na zona de rebaixamento após um autêntico jogo de xadrez

Ao contrário do sistema ofensivo, a defesa do Bahia fez excelente partida contra o Corinthians

Tricolores, um autêntico jogo de xadrez, sem xeque-mate, foi o empate de ontem (0x0) entre Bahia e Corinthians em Pituaçu pelo Brasileirão. As duas equipes, com muita cautela, ficaram se estudando o jogo inteiro e pouco se arriscaram ofensivamente. Ambas estavam ocupando bem os espaços, sem dar chance para o adversário jogar. Oportunidade real de gol ninguém teve, apenas uns poucos  chutes sem muito perigo. O volume de jogo um pouco maior do Timão não foi suficiente para ele conquistar os três pontos. Na realidade, pelo que se viu na partida, o empate acabou sendo um resultado justo. Apesar de ser em casa, empatar com o atual campeão da Libertadores não é um resultado tão desesperador. O problema é que o Bahia perdeu pontos preciosos contra o Coritiba Flamengo e Internacional e isso acabou se refletindo na nossa posição atual na tabela. Voltamos à zona de rebaixamento porque adversários diretos nossos (Santos e Portuguesa) venceram seus combates e nos jogaram para o 17º lugar. Mas o time já mostra evolução com Caio Júnior, dando a ideia de que pode perfeitamente reverter essa situação.

Como o Corinthians tem jogadores de qualidade mais ou menos uniforme no seu elenco, não sentiu tanto a ausência do atacante Êmerson e do zagueiro Chicão, pois os substitutos, Romarinho e Wallace, deram conta do recado. Aliás, Romarinho, enquanto esteve em campo (saiu no início do segundo tempo),  nos deu muito trabalho, com deslocamentos rápidos e pelo menos dois bons chutes, um Marcelo Lomba fez a defesa e o outro foi pra fora. Se os substitutos do Corinthians foram bem, os do Bahia nem tanto. Para ser mais preciso, Souza fez muita, mas muita falta mesmo ao time, já que Júnior não ganhou uma bola sequer e, quando parecia que ia dominar, era facilmente desarmado, ficando nossa equipe sem a referência que teve no jogo passado, quando Souza fez dois gols e jogou muito. O pior é que ontem também não podemos contar também com Lulinha nem Ciro e o pessoal que entrou  (Vânder e Rafael Gladiador) não renderu o esperado

Em toda  partida, o Bahia chutou apenas três bolas a gol: uma com Júnior, que dominou dentro da área e bateu pra fora; outra com Ávine, que fez o mesmo, e mais uma com Vânder, que entrou driblando e chuto torto. O time paulista, na primeira etapa, além dos dois chutes de Romarinho, teve uma jogada em que Danilo recebeu dentro da área, mas, sem ângulo, chutou para a defesa de Lomba. No segundo tempo, mais um chute sem perigo de Romarinho, uma saída em falso de Lomba, que Alessandro chutou por cima da trave, e um chute de Jorge Henrique, que nosso goleiro encaixou sem problemas.

Em relação a outras partidas, percebeu-se claramente que nosso sistema defensivo, fazendo uma forte marcação, melhorou bastante, tanto que não tomou gol nos últimos dois jogos. Os dois zagueiros estavam muito seguros, assim como a proteção de Fabinho e Fahel. Gostei da atuação do lateral Gil Bahia, que defende muito bem, embora ainda acanhado quando desce pro ataque. Nosso problema ontem foi que a parte ofensiva da equipe deixou a desejar. Zé Roberto, muito marcado, não repetiu a atuação que  teve contra o Palmeiras, e Júnior fez, seguramente, uma das suas piores atuações com nossa camisa. Além disso, Magno não conseguiu criar muita coisa. Ainda bem que Caio Júnior tem consciência de que precisamos contratar, pois o elenco tem que ser reforçado para que ganhe mais qualidade tanto entre os titulares quanto entre os reservas, afinal estamos disputando o Brasileirão e, na quinta-feira, começa a  Copa Sul-Americana, competições difíceis e importantes. Vamos torcer para que a melhora defensiva da equipe chegue também a nosso ataque para que possamos nos livrar logo da zona de rebaixamento e fazer grande campanha nesta Série A e na Sul-Americana.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

2 Comentários

  • mizael

    Já havia sido dito pelo ex-técnico Falcão, precisamos de contratações mas que o Bahia não tem dinheiro, esse é um grande problema no momento.
    O maior problema que vejo no momento é sobre a entrevista do capitão Titi, quando mostra um time sem união, um grupo rachado com panela que não levará a nada. O time tem se unir pois ele querem receber seus salários e, para isso acontecer bem certinho eles devem mostrar força e raça em campo. Acho que falta o lado profissional dos atletas.
    Sei que o tima não vinha bem com o Falcão, será que os atletas que fizeram cair o Falcão?
    Direitoria e comissão tecnica tem que ficar de olhos!”

    • Kleber Leal

      Vc tem razão, mas, a princípio, já que não se tem grana para contratar, precisamos dar chance aos garotos da base para ver se dão resultado