Continuamos mal

A Nação Tricolor ficou muito triste, ontem, por causa do péssimo futebol que o Bahia apresentou na Arena

Tricolores, mesmo com uma discreta melhora no segundo tempo, quando perdeu algumas chances de marcar, o Bahia mais uma vez apresentou um futebol decepcionante, e acabou empatando com o Conquista, na Arena Fonte Nova, por  em 1 a 1, deixando “virada na zorra” toda a Nação Tricolor, afinal o time neste Baianão tem um aproveitamento de  cerca de 43%, fazendo apenas seis pontos em 15 disputados, com um triunfo, três empates e uma derrota. Se não fosse um grupo contra outro, não estaríamos na zona de classificação. Na estreia de Joel Santana, o time deixou muito a desejar e continua sem vencer na Arena Fonte Nova.

A “Avenida Neto” voltou a ficar livre para o adversário e o time do interior explorou muito o lado direito da nossa defesa no primeiro tempo, onde acabou criando boas jogadas ofensivas, também aproveitando a péssima cobertura dos nossos volantes (Diones e Hélder nem pareciam que estavam em campo e apenas Fahel se virava para fazer a marcação, coisa que vem se repetindo jogo a jogo). No meio, Rosales, escondido, não conseguia articular nada e, mais uma vez, poucas vezes a bola chegava a nossa dupla de atacantes (Souza e Obina). O time do interior, mais organizado em campo, deu muito trabalho e abriu o escore numa cobrança de escanteio em que Titi deu mole e o zagueiro Sílvio mandou para as redes.  Depois do gol, o Bahia partiu desordenadamente ao ataque e poderia ter empatado num lance de rebote do goleiro que Diones não aproveitou. Mas, mesmo no sufoco, chegamos ao empate numa cobrança de escanteio de Neto que Obina cabeceou para o gol.

Toró entrou no intervalo, no lugar de Neto, e Diones foi fazer a lateral direita. Assim, o time ficou mais consistente na defesa e o Conquista já não chegava com tanta facilidade à frente, apesar de ter dado bons arremates a gol. O futebol de Rosales começou a aparecer e tivemos boas chances de fazer o segundo: Obina perdeu dois gols certos, um porque se afobou e outro porque não teve perna para alcançar uma “braga” da defesa adversária. Hélder também perdeu um gol feitíssimo, ao tentar chutar com a perna “cega”. Em outro lance, Zé Roberto, que substituiu o machucado Souza, cabeceou à queima-roupa, o goleiro do Conquista fez grande defesa e, na volta, Fahel não conseguiu fazer o gol porque a zaga do time interiorano salvou.

Ao final da partida, a nação tricolor vaiou muito o time, que não consegue se apresentar bem há muito tempo. Uma coisa boa que pode ser ressaltada do jogo de ontem é que, quando Rosales resolve jogar, o time cria alguma coisa. Outra coisa positiva é que a entrada de Toró reforçou um pouco mais a entrada da nossa área, embora o jogador esteja visivelmente fora do peso. Esses pontos positivos são extremamente tímidos pois os negativos são muito maiores. De um modo geral criamos pouco, continuamos precisando melhorar a marcação no meio e nossos atacantes estão com pouquíssimos faro de gol.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

1 Comentário