Desfalques do Bahia fizeram mais falta que os do Atlético Mineiro

Hélder fez uma forte marcação aos jogadores do Galo e ainda perdeu uma chance incrível de gol

Tricolores, no empate sem gols ontem contra o Galo, em Pituaçu, ficou mais do que claro que nós sentimos bem mais os dois desfalques que tivemos do que o Galo os quatro que teve. Sim, porque o time de Minas tem um elenco muito melhor, com jogadores do nível de Guilherme, Leonardo, Richarlyson e Rafael Marques no banco de reservas. Eles substituíram muito bem Ronaldinho, Jô, Júnior César e Rever   Não é à toa que o alvinegro mineiro lidera o Campeonato Brasileiro. No nosso caso, o estreante Romário substituiu Jussandro e Lulinha jogou  no lugar de Gabriel. Romário, sem entrosamento e ainda nervoso, não rendeu quase nada; Lulinha, nem de longe lembrou Gabriel, que fez muita falta ao time, ele que tinha sido o principal jogador do Bahia nos últimos dois jogos. Sem contar que nossos jogadores que entraram no decorrer da partida (Cláudio Pitibull, Kléberson e Caio César) foram mal. A partida foi muito disputada, com poucas chances de gol, e no final o Atlético desperdiçou muitas chances que poderiam dar o triunfo. Mas o que vale é bola na rede e o Bahia pelo menos saiu com o empate.

O Atlético começou o jogo fazendo uma blitz na área do Bahia, com dois escanteios seguidos. Depois se posicionou mais na defesa e procurou sair nos contra-ataques. Na primeira jogada Galo respondeu com um chute de Guilherme para a fácil defesa de Marcelo Lomba. O jogo passou a ficar truncado, com forte marcação de parte a parte. O Bahia marcava muito bem, mas ofensivamente sentiu demais a falta de Gabriel, já que Lulinha se posicionou muito longe de Souza, que ficou isolado. Para completar, os laterais não apoiaram: Neto, porque Bernard estava caindo nas costas dele; Romário, porque estreava, mostrando-se um pouco nervoso e desentrosado com os companheiros. Depois que Lulinha recebeu na área e mandou pra fora, o time mineiro armou um perigoso contra-ataque em que a bola sobrou livre para Bernard, dentro da área, mas felizmente ele Galo quase chega numa jogada em que Richarlyson caiu pela esquerda e cruzou para Leonardo desviar perigosamente.

Na segunda etapa da partida, o incentivo da torcida foi grande, mas a marcação do Bahia já não era tão eficiente e o time mineiro foi muitas vezes à frente, embora sem criar tantas chances reais. Na parte ofensiva, mesmo com Souza continuando isolado, tentamos criar alguma coisa.  Após chutar uma bola sem muito perigo da entrada da área, Hélder perdeu uma chance de ouro, a melhor da partida, quando Souza, aproveitou um recuo malfeito de Richarlyson, e rolou para o meio, com a bola sendo chutada pra fora por Hélder. Num jogo duro desses não se pode perder uma oportunidade tão real. O Galo respondeu com Bernard chutando pra fora de dentro da área, num lance de contra-ataque. Na seqûencia, o time de Minas desceu tocando a bola, que foi rolada para Escudeiro chutar com perigo, mas pra fora

O jogo ficou muito perigoso, com o nosso adversário chegando cada vez mais ao ataque e o Bahia se defendendo como podia, mas sem agredir tanto o adversário, mesmo com as entradas de Cláudio Pittibul no lugar de Lulinha;Caio César no de Zé Roberto e Kléberson no de Diones. Aliás, depois dessas substituições, o Bahia ficou sem velocidade, caindo muito de produção e o Galo pressionou bastante com Bernard e Guilherme. Nu m lançamento em profundidade, Lomba precisou sair para interceptar um avanço de Guilherme. Depois, a bola foi alçada e Guilherme concluiu pra fora meio sem ângulo. No último lance do jogo, numa bola mal rebatida por Caio numa cobrança de escanteio, o volante Serginho chutou com muito perigo.

O fato de o ataque do Bahia cair mais de produção no segundo tempo contribuiu para o crescimento do Atlético. Infelizmente, Lulinha foi muito mal, deixando Souza sem um companheiro eficiente, e nosso banco de reservas estava composto por jogadores  que não tinham tanta velocidade para mudar o panorama do jogo. O treinador Jorginho, sem poder contar com Jones Carioca, poderia ter levado Vânder ou Rider, mas preferiu levar Pitbuul e Caio, jogadores que ainda estão longe da melhor forma. Mesmo com todo esses equívocos, conseguimos um pontinho importantíssimo, que merece ser comemorado, mesmo a partida sendo disputada em nossos domínios.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post