Diferença de qualidade determinou nossa derrota para o São Paulo

Zé Roberto (D) voltou a jogar bem, mas não o suficiente para evitar nossa derrota

Tricolores, a diferença de qualidade foi o fator determinante para o triunfo do São Paulo, por 2 a 0,  sobre o Bahia, anteontem, em Pituaçu, na nossa estreia na Copa Sul-Americana O time paulista aproveitou as oportunidades que teve, suportou a pressão no primeiro tempo, vencendo por 1 a 0, e administrou e ampliou a vantagem no segundo, demonstrando uma categoria, velocidade e um esquema tático infinitamente superior ao do nosso tricolor. Agora, temos que vencer o jogo de volta por dois gols de vantagem, para levar para os pênaltis, ou de três em diante para passarmos de fase, situações improváveis de acontecer. Temos mesmo é que concentrar os esforços no Brasileirão, pois domingo já teremos outra parada indigesta, o Grêmio no Olímpico

O JOGO –  O São Paulo mandou no jogo no início da partida, abrindo o escore logo aos sete minutos, numa perfeita cobrança de falta de Rogério Ceni. Após este gol, nossa equipe, mesmo de forma meio desordenada e errando passes, chegou a criar várias situações de empatar o jogo, como num chute de Fahel que explodiu na trave, num outro de Souza que foi por cima, após falha de Rogério Ceni, e em mais uma de Júnior, que dominou na entrada da área e deu um chute ridículo pr longe. Ou seja, nos faltou competência para chegar à igualdade no placar. Aliás, não deu certo a estratégia do treinador Caio Júnior ao colocar Souza e Júnior como dupla fixa de ataque. Faltou o homem de beirada, que seria Lulinha, sem contar que o Anjo Loiro atravessa a pior fase desde que chegou o Bahia, pois desperdiça as oportunidades que tem, além de, de um modo geral, não dar sequência às jogadas. Gerley, que jogou o primeiro tempo no lugar de Ávine, mais uma vez, foi horroroso.

No segundo tempo, começamos com um bom chute de Souza que Ceni defendeu e, daí em diante, o time paulista nos botou na roda e foi administrando até chagar ao segundo gol , aos 23 minutos. DA coisa piorou e o Bahia ficou completamente perdido em campo. Como disse meu amigo Danilo Ribeiro, se o tricolor do Morumbi apertasse, chegava facilmente  a mais gols. Ainda bem que, após o jogo, Caio Júnior reconheceu nossa deficiências e deixou claro que pedirá contratações. Aliás, reforçar esse time é mais do que necessário para que, pelo menos, ele permaneça na Série ª

CAIO – Por falar em contratações, o  Bahia oficializou a chegada do meia Caio César, que brilhou no Palmeiras, com Caio Júnior de treinador, e estava há cinco anos no futebol alemão. Dizem que ele está bichado, mas eu espero que isso não se confirme e o cara possa nos ajudar.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post