Palmeiras 0x2 Bahia. Chupa, vice!!!

Além de fazer dois gols, Souza, o Caveirão", teve grande atuação ontem no triunfo sobre o Palmeiras por 2 a 0

Tricolores, confesso que estou de alma lavada com o resultado de ontem. Claro que eu tenho ciência de que nosso time precisa melhorar muito, mas o importante nesse momento é que nós vencemos o Palmeiras, campeão da Copa do Brasil, por 2 a 0,  fora de casa, na estreia  do treinador Caio Júnior, e isso não só nos tirou da lanterna, como também da zona de rebaixamento. Sem contar que o resultado fez entrar em desespero os torcedores do time de Canabrava, que estavam “secando” o Bahia. Teve até alguns que falaram que estavam ansiosos para ver logo a partida na certeza de que iríamos perder; outros que queriam apostar até quantos minutos o Bahia suportaria sem levar gols. Enfim, essas misérias não esquecem do nosso amado Bahia, parecendo até que já subiram parta a Série ª Chupem, vices despeitados!!!  A nossa atuação ontem teve vários ingredientes importantes para um time que quer fazer sucesso: raça, determinação, vontade de ganhar, aplicação tática. O time foi raçudo demais e correu muito durante todo o jogo, ao contrário das últimas duas partidas, quando, fisicamente, a equipe morreu no segundo tempo. A grande atuação de Zé Roberto, mais uma vez, foi um indicativo de que ofensivamente o time daria trabalho. Souza marcou duas vezes, voltando a ser o Caveirão que tanto gostamos.

O JOGO – O Palmeiras partiu pra cima desde o primeiro momento, e o Bahia inicialmente não estava conseguindo sair da pressão, pois não segurava a bola, errando muitos passes. Um chute perigoso no alto com boa defesa de Marcelo Lomba foi a primeira chance do Verdão, que prosseguia empurrando o Bahia. Numa bola cruzada que passou por toda a extensão da nossa área, Titi desviou para escanteio e quase faz contra. Na sequência, Obina fez um gol mas a arbitragem, anulou corretamente, já que um outro atacante do time paulista havia feito falta em Lomba.

O  Bahia deu o ar da graça no campo ofensivo somente aos 23 minutos, numa bola em que Zé Roberto, que jogou muito, enfiou para Kléberson, o meia entrou na área, mas chutou sem direção. Depois disso aí, o Bahia conseguia tocar um pouco mais a bola e a pressão diminuiu. Mesmo assim, nossa zaga teve muito trabalho com as bolas alçadas na área, segurando bem o reggae. Kléberson viria a perder um outro “gol feito” numa escapada de Zé Roberto, que driblou o zagueiro, entrou na área e passou para ele, livre, chutar mal e perder. Não de pode perder um gol desses, Kléberson. O Verdão também perdeu uma grande chance com Obina.

Nosso tricolor voltou para o segundo tempo com Diones no lugar do lateral Gil Bahia, que estava com cartão amarelo e fazendo muitas faltas. Com a marcação adiantada, a pressão palmeirense foi muito maior no começo dessa etapa e parecia que o Bahia iria perder facilmente. Um chute de longe de Márcio Araújo obrigou Marcelo Lomba a fazer uma boa defesa. Depois foi a vez de Obina arrematar de fora para outra defesa. O atacante Barcos dominou na área mas perdeu a chance de abrir o escore. Maicon Leite também cobrou uma falta com perigo mas a bola foi pra fora, raspando a trave.

Depois de passar por todo esse sufoco, o Bahia começou a tocar a bola, tentando articular jogadas ofensivas. Souza lançou para Lulinha, que foi derrubado na área: pênalti.. O Caveirão cobrou e marcou, aos xx minutos. Daí em diante o time paulista ficou no desespero e o Bahia partiu pra cima. Numa linda jogada, Zé Roberto obrigou o goleiro a fazer defesa difícil num chute alto. Depois, Magno fez um lançamento primoroso para Zé Roberto, que chutou, o goleiro rebateu, e o mesmo Zé rolou para Souza que, com muita frieza, mandou para o .undo das redes, decretando 2 a 0 aos 36 minutos. Daí até o final foi Sá administrar e garantir o importante triunfo

Zé Roberto foi o nome do jogo. Sempre se apresentando para receber as bolas, ele fez grandes jogadas e correu bastante também. Lembrou muito o Zé Roberto dos velhos tempo. Tomara que continue assim. Souza, com dois gols, também se destacou. Porém, o grande mérito da equipe ontem foi o futebol de muita garra  e objetividade que apresentamos. Batemos o campeão da Copa do Brasil e domingo teremos o confronto contra o campeão da Libertadores (Corinthians). O pior é que não teremos Souza, cuja suspensão de quatro jogos já foi confirmada, Mas não há de ser nada. A partir de agora vamos mentalizar que entraremos numa nova fase, com muitos triunfos, que possibilite fazer uma grande campanha neste Brasileirão.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

3 Comentários