Perdemos mais uma promessa???

Ânderson Talisca é mais um jogador de futuro que deve deixar o Bahia

Tricolores, é impressionante como o Bahia tem dado vacilo em não valorizar promessas da divisão de base como deveria, o que tem feito com que  jogadores futurosos deixem nosso clube. Quer dizer: temos todo o trabalho de formar o jogador, dar toda a condição para ele e, na hora de colher os frutosm acabamos perdendo porque nossa diretoria não procura reconhecer que o atleta pode integrar nosso elenco e até ser negociado no futuro. Este ano já perdemos, por esse motivo, o lateral-esquerdo Mansur para nosso rival e o meia Vânder, que também terá o mesmo caminho. Agora é a vez de Ânderson Talisca, um meia de 18 anos que joga muito, tem uma visão de jogo espetacular e com grande tendência de se transformar em ídolo da Nação Tricolor. Talisca, que tem contrato até fevereiro de 2013, afirmou que o Bahia não o valorizou, e agora quer sair. Que coisa mais louca. Jogadores que têm qualidade, este inclusive foi convocado para a Seleção Sub-20, não podem ser descartados assim dessa maneira.

A direção do Bahia tem que entender que a divisão de cotas de televisão, e patrocínio em geral, é bastante desigual. Para se ter uma ideia, só em relação às cotas de TV, é mais ou menos assim: Flamengo e Corinthians receberam este ano cerca de R$ 90 milhões; Botafogo, Vasco, Flamengo, São Paulo, Santos, Palmeiras, Internacional, Grêmio, Cruzeiro e Atlético-MG receberam cerca de R$ 70 milhões, e Bahia, Coritiba, Portuguesa e os outros receberam apenas R$ 30 milhões. Esse verdadeiro apartheid econômico impede que possamos concorrer com os clubes que recebem cotas bem maiores. Não é à toa que acabamos contratando jogadores já rodados, que vêm pra cá com salários altos e geralmente não rendem nada. Os jogadores mais jovens e que têm mercado preferem ir para outros clubes.

Há alguma forma de se concorrer com isso? Há, sim. E uma das,aneiras maiseficientes é investir forte na divisão de base, valorizando os atletas que demostrarem condições de integrar nosso elenco. Esses meninos podem surpreender e formar um grande time que possa concorrer com os clubes mais ricos, fazendo com que nossa equipe faça grande campanhas nos campeonatos nacionais e até chegue ao título, como conseguimos em 1988. Naquele ano, utilizamos vários jogadores da nossa base e surpreendemos o Brasil. Ronaldo, João Marcelo, Zé Carlos e Charles são exemplos do que eu estou falando. Precisamos valorizar mais nossa divisão de base. Ela é a base de tudo, ela pode ser nossa grande arma para fazer frente a esta discriminação econômica que sofremos em relação à maioria dos clubes Brasileiros.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

1 Comentário

  • Adriano

    O Bahia disse que continua negociando…
    Acho que o que precisa ser avaliado…..o jogador vale o quanto pede ?
    O Santos perdeu Ganso……

    As vezes o jogador (ou os empresários) não querem mais ficar no clube.

    Em todo caso, me faltam informações para ter uma opinião mais precisa.