Que decepção!!!!!

Tricolores, após o segundo tempo contra o Internacional domingo passado, quando o Bahia fez uma grande partida e merecia ter ganho, havia a esperança de que a equipe fizesse um bom jogo contra o Botafogo, ontem pelo Brasileirão, mas isso, infelizmente, não aconteceu, causando uma grande decepção. O time jogou muito mal e perdeu por 3 a 0 no Engenhão, sem esboçar qualquer reação, numa atuação vergonhosa.  Completamente desarrumado, marcando mal e sem criar nenhuma jogada ofensiva, o Bahia foi presa fácil e começa a bater na nossa cabeça o medo do rebaixamento, embora ainda faltem muitos jogos.

 

O Botafogo começou o jogo indo pra cima do Bahia, explorando principalmente o lado direito da nossa defesa, onde Fabinho estava mal e Kléberson, responsável pela cobertura,  estava pior. O time carioca chegou ao primeiro gol, logo aos seis minutos, numa escapada do lateral-esquerdo Márcio Azevedo, que, apesar da marcação de Kléberson,  foi no fundo e cruzou para o baixinho Cidinho desviar de cabeça e marcar. O mal posicionamento da nossa zaga contribuiu para o gol porque o cara que mandou para as redes não tem nem 1,70m e nosso zagueiros são bem mais altos.  Até os 25 minutos do primeiro tempo, o Botafogo, embora sem criar chances mais agudas após o gol, foi absoluto em campo. O Bahia, bem marcado, não conseguia trocar três passes certos. Os volantes estavam confusos na marcação e os meias, muito afastados um do outro, nada criavam.

 

Numa falha de Titi, o Botafogo, com Vítor Júnior, fez um ataque perigoso, mas nosso zagueiro acabou se recuperando e fazendo o corte. O Bahia começou a aparecer um pouco no campo de ataque a partir dos 27 minutos, com chutes horrorosos de Kléberson, embora tivesse um de Fahel que levasse um certo perigo. A torcida do Botafogo, que já pegava no pé de Fahel e Souza,  aumentou a pressão em cima do nosso centroavante a partir do momento em que, numa dividida, ele meteu a mão na cara de Antônio Carlos. Souza, aliás, completamente fora de ritmo, não fazia boa partida. Após uma cobrança de falta de Andrezinho,  que Lomba fez grande defesa, o alvinegro do Rio chegou ao segundo gol, que nasceu de um chute de longe de Cidinho, que desviou em Titi e ganhou o fundo das redes.

O Bahia foi bombardeado no início do segundo tempo com dois chutes de Élkeson. No primeiro, Lomba fez grande defesa, mas no segundo Élkeson deu um voleio, após passe de Renato, e fez o segundo gol. O Bahia continuou confuso em campo, sem criar nada. Havia um buraco nas nossas laterais, por onde o Botafogo deitou e rolou até porque não tinha cobertura dos volantes. Em dois lances seguidos, Elkeson quase marca aproveitando cruzamentos de linha de fundo. Num deles desviou com o pé e Lomba também tirou com o pé. No outro, ele cabeceou e Lomba pegou firme. O jogo estava tão fácil para o Botafogo que a torcida começou a gritar “olé” aos 23 minuto do segundo tempo. Até o final do jogo, o Bahia não chutou nenhuma bola em gol e o time carioca chegou algumas vezes com perigo, mas o placar não foi alterado.

 

A atuação de Kléberson foi abaixo da crítica. Não marcou ninguém e nem criou uma jogada sequer. Mancini também foi muito mal. Aliás, está difícil encontrar quem tenha jogado bem esta partida.  Até Lomba falhou no primeiro gol. Na realidade  ninguém correspondeu. As entradas de Jones Carioca e Lulinha também não acrescentou nada ao time. Não dá pra entender por que Vânder não jogou, mas Lulinha e Jones entram no segundo tempo.

 

Depois de atuar tão bem no domingo passado contra o Inter, ontem o Bahia decepcionou demais, tirando completamente otimismo em relação ao progresso do time. Como disse meu primo Moysés Leal, apesar de o campeonato anda estar  praticamente no início, está dando uma grande procupação em relação a rebaixamento. Precisamos melhorar e começar a vencer urgentemente.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

1 Comentário

  • Carlos Monteiro

    Os jogadores do Bahia são uns vagabundos e desonestos, porque não honram a camisa que vestem e os salários que recebem.