Reservas não resistiram ao Coritiba

Nossa zga subiu pouco e o Coxa abriu o placar de cabeça

Tricolores, ainda bem que nossos concorrentes diretos na luta contra o rebaixamento também perderam e o Bahia continua oito pontos acima da zona maldita , pois ontem, jogando com vários reservas, contra o Coritiba no Couto Pereira, perdemos por 2 a 1, depois de fazer um primeiro tempo de igual para igual e cair de rendimento no segundo tempo. A zaga reserva falhou no jogo aéreo e nosso ataque, com Rafael Gladiador, praticamente não existiu. Agora é vencer ou vencer o Palmeiras quarta-feira em Pituaçu para começar a se livrar de vez do risco de cair para Série B.
Sem ninguém esperar, o técnico Jorginho “inventou” e entrou com Rafael no ataque, ao lado de Jones Carioca. O equilíbrio foi a marca do primeiro tempo, onde as duas equipes, jogando para frente, tentaram, tentaram, mas praticamente não conseguiram criar tantas chances mais reais.  O Bahia jogou sem medo e, logo no começo, teve uma boa oportunidade, quando Jones Carioca roubou uma bola e lançou Rafael, mas este chutou pra fora. Depois Zé Roberto recebeu na entrada da área, girou e bateu, mas o chute foi fraco e pra fora também. Nosso tricolor estava melhor, mas, num escanteio para o Coritiba, a zaga Tricolor não subiu e Lucas Claro marcou de cabeça aos 10 minutos. Tomamos o gol quando estávamos melhor. è fogo, isso!!!
Mas o Bahia não se abateu e continuou jogando pra frente. Também numa bola parada, aos 15 minutos, Neto cobrou falta e Alyssom desviou de cabeça, fazendo o merecido gol de empate. Depois daí, o jogo ficou mais ainda de igual para igual. O Coxa, porém, teve uma oportunidade de ouro, quando a bola sobrou para Deivid, que mandou rasteiro e Lomba fez uma defesaça. O Bahia poderia ter jogado melhor se Jussando tivesse correspondendo, pois apenas do lado direito, com Neto, o time conseguia criar alguma coisa. Outro que não foi bem foi Rafael, muito parado entre os zagueiros e sem dar opção de tabela para os atacantes.’

Na segunda etapa da partida, nosso lado esquerdo, com Jussandro muito mal, virou uma avenida, onde Rafinha fazia o que queria. Rafinha logo no início cruzou uma bola perigosa e Deivid cabeceou para Lomba defender; no rebote, outra cabeçada, e Lomba pegou  de novo. A pressão foi muito grande, nossa marcação não encaixou e o Coxa foi todo pra cima. Júnior Urso entrou driblando, e chutou forte, Lomba defendeu e na volta outro chute e outra defesa do nosso Paredão. O pior é que ninguém conseguia criar nada nem armar contra-ataques.

A bola aérea era um terror  pra nossa zaga. Bola foi alçada, Deivid toca e de cabeça e Rafinha quase marca, também de cabeça. Estava difícil suportar esse sufoco, pois a bola ficava o tempo inteiro rondando nossa área e o Bahia não conseguia armar  um contra-ataque, já que Kléberson e Zé Roberto estavam sem função em campo. Logo depois que Jorginho colocou Romário no lugar de Jones Carioca, para reforçar mais nosso lado esquerdo, que estava muito vulnerável, o Coxa, de tanto pressionar, acabou fazendo o gol de desempate numa cabeçada de Deivid, aproveitando um cruzamento de Rafinha justamente do lado esquerdo.

A partir desse gol, o Coxa até poderia ter ampliado, mas o placar ficou por aí mesmo porque Lomba fez grandes defesas. Nosso ataque nessa etapa não chutou uma bola em gol, sendo completamente inoperante. Jussandro, Rafael, Kleberson e Zé Roberto tiveram atuação sofrível. Jones até tentou alguma coisa mas Jorginho optou por tirá-lo. Com a volta de alguns titulares na quarta-feira contra o Palmeiras temos todas as condições de vencer e ficar um pouco mais tranqüilos em termos de classificação. Mas o jogo deverá ser muito difícil, já que o time paulista está numa situação muito pior que a nossa e fará tudo para nos vencer. Temos que ganhar de qualquer jeito e, para isso, a torcida tem que dar u apoio maior do que vem dando.

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post