Triunfo na raça!!!!

Gabriel, Souza e Elias comemoram o nosso gol na difícil partida contra a Portuguea, no Canindé (foto: Antonio Alvim/ecbahia.com)

Tricolores:  garra, raça e determinação foram fundamentais para nosso triunfo de ontem contra a Portuguesa, por 1 a 0, no Canindé. O nível técnico do jogo foi muito ruim, com a partida sendo disputada mais na força do que na organização tática das equipes. Nosso time não se acertou muito durante o jogo, mas todo mundo correu, todo mundo lutou, todo mundo deu o máximo de si. No final, marcamos um gol e poderíamos até fazer mais. Esse triunfo foi fundamental para nossas pretensões, pois abrimos sete pontos do Palmeiras, que empatou com o Botafogo, e continuamos com quatro pontos a mais que o Sport, que venceu o Vasco no Rio, sem contar que igualamos o número de pontos da Portuguesa, que agora mais do que nunca entrou no bolo da luta pela permanência na Série A.

Confesso que, quando vi que o Sport, que jogou mais cedo, venceu o Vasco em São Januário, fiquei bastante apreensivo, pois a diferença na classificação para o time pernambucano havia caído para apenas um ponto e isso fez com que um triunfo contra a Lusa virasse uma obrigação. As duas equipes no início procuraram o ataque, mas faziam isso de forma desordenada. No Bahia, o meio-campo não segurava a bola nem armava nada. Na realidade, estávamos fazendo a ligação defesa-ataque, sem passar pelo meio. Essa situação facilitava a vida da Portuguesa, que também pouco criava e se limitava a alçar bolas na nossa área, tendo Titi e Lucas Fonseca bem postados e ganhando todas.

O Bahia chegou  a fazer um gol, corretamente anulado, quando Souza  completou para a rede um cruzamento, mas antes puxou um defensor adversário, aos cinco minutos. A Portuguesa, sem conseguir entrar na nossa zaga, arriscou numa cobrança de falta sem perigo, chutada por Moisés. Num cruzamento perigoso de Hélder, Jones Carioca chegou atrasado. Num lance quase sem querer, a zaga da Portuguesa rebateu e a bola sobrou livre para Bruno Mineiro, que felizmente não alcançou para marcar.

O Bahia respondeu num cruzamento de Jones Carioca, que Gabriel pegou de primeira, tendo Dida feito uma defesa difícil. Depois, Bruno Mineiro girou na entrada da nossa párea e chutou sem perigo. Após esse lance, Ananias cruzou, Bruno Mineiro pegou de primeira mas foi travado por Lucas Fonseca. A esta altura a Portuguesa estava melhor e continuou pressionando. Moisés deu um drible em Fahel e chutou de longe. Lomba fez boa defesa. No finalzinho do primeiro tempo, após um escanteio, Valdomiro tocou de cabeça e Lomba foi obrigado a tirar com o pé, pois Bruno Mineiro já chegava.

O começo do segundo tempo foi marcado por jogadas mais ríspidas de ambos os times, ficando a partida bastante nervosa. A Portuguesa explorou muito as jogadas por nosso lado esquerdo, mas quando cruzava para a área, nossa zaga tirava. Quando o Bahia conseguiu articular uma jogada de perigo, Neto lançou Souza livre, dentro da área, e ele, em vez de chutar, tentou passar para Jones, perdendo uma chance de ouro , aos cinco minutos. A Portuguesa tentou responder com uma falta sem perigo cobrada por Moisés. Daí em diante, o Bahia passou a aparecer mais no campo ofensivo, com grande partida de Diones e de Fahel, compensando a má jornada de Gabriel. Passamos a arriscar chutes de longe. Primeiro Fahel tentou mas a bola foi por cima. Num vacilo de Titi, Ananias roubou  a bola, passou para um companheiro, este cruzou à meia altura e quase Bruno Mineiro marca. Depois, Ananias arriscou de fora e Lomba fez boa defesa.
Num outro chute de fora da área, Diones bateu à meia altura, Dida tentou encaixar, mas bateu-roupa, e Souza emendou para as redes, fazendo Bahia 1 a 0, aos 32 minutos. Daí em diante, passamos  a dominar a partida e chegar com mais facilidade ao ataque. Num outro chute de Diones, Dida fez grande defesa. Na sequência da jogada, Fahel colocou Elias na cara do gol. Ele chutou e Dida desviou para escanteio: chance de fechar o caixão desperdiçada. Poderíamos  ter feito o segundo também em outro lance, quando Elias cruzou para a área, Souza dominou e rolou para Victor Lemos chutar para defesa de Dida. Mas o triunfo ficou de bom tamanho.

A postura da equipe, que não fez grande partida, mas foi eficiente, nos anima bastante para os próximos jogos. Grande atuação da nossa dupla de zaga, especialmente o reserva Lucas Fonseca. Fahel foi excelente no meio e Diones simplesmente espetacular, nosso melhor jogador em campo. Se Gabriel, Jones, que saiu no intervalo, e Elias estivessem numa tarde mais feliz, acho que venceríamos esta partida com menos dificuldade, pois a disposição do time foi digna dos maiores elogios. Nosso Caveirão  perdeu um gol incrível, mas depois se redimiu marcando nosso gol do triunfo, no dia que completou 70 jogos com a camisa do Bahia. Agora é pensar no Cruzeiro e continuar secando nossos concorrentes na luta para permanecer na elite do nosso futebol

Autor do post:
Kleber Leal

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post