O clássico do quase…

Salve Geraldinos!!

Pois é, fiéis leitores, o domingo que era pra ser de risadas e piadas, quase se tornou uma tragédia pro Coringão. Eles decidiram jogar o jogo da vida, e o Corinthians decidiu ser pragmático/previsível e ter o alto ego muito alto. E deu no que deu!

Começamos o jogo muito bem, como tem que ser, marcando forte, saindo rápido e criando. Jorge Henrique teve a primeira oportunidade, recebeu livre e encheu o pé. Quase, a bola explodiu no travessão e saiu.

Logo depois uma rápida descida pela esquerda e cruzamento certeiro na cabeça de Paulinho, o volante artilheiro fez como manda o scrit, tirou do goleiro e buscou o ângulo esquerdo. Quase, ela passou, bateu na rede pelo lado de fora.

Mais uma, desta vez, foi do centro avante matador. Depois de confusão na área, a bola sobrou livre para Guerrero dominar e (sem goleiro e dentro da pequena área) colocar pra dentro. Quase, o peruano bateu forte e quase sem querer, acertou a trave.

Com tanta pressão já tínhamos aberto o placar. E o time achou que o adversário estava quase morto.  Mas não estava. E a tão comentada soberba apareceu. Paramos de jogar, eles acharam que dava pra ganhar e foram pra cima. Pane geral na marcação, cruzamento e sem quase ninguém marcando, empataram.

Na volta do meio tempo, um apático Corinthians esperava. E eles vieram, logo viraram. Cassio cometeu sua primeira grande falha com a camisa do Corinthians. Mais de um mês sem jogar, só treinando e voltando de lesão. Dá pra quase entender o porquê, mas lances assim não podem se repetir.

Sem esperanças numa mudança de posturas, quase todos acharam que a tarde de domingo no Pacaembu seria mais dolorosa. Mudanças eram bem vindas. Alessandro deu lugar a Romarinho e Renato Augusto entrou no lugar de Danilo. Logo depois, Pato no lugar de Guerrero.

E dá pra entender porque a má vontade do time acabou. Três ótimos jogadores, esquentando o banco, voaram. Romarinho recebeu na entrada da área e encheu o pé, quase, Prass defendeu. Renato Augusto também tentou, buscou o ângulo e quase. Passou raspando.

Quando as minhas esperanças, quase iam indo embora, Cassio lançou, Pato MATOU a bola e armou. Primeiro para Paulinho, sem sucesso e depois, com muita calma para Romarinho confirmar a escrita, bater colocado e empatar o jogo. Sem quase, Romarinho é o homem do derby! Que estrela!!!!


Era quase uma goleada premeditada, que quase virou pesadelo e que quase virou uma nova virada com uma bicicleta de Paulinho que quase acertou o ângulo. Ficamos no quase e o quase não ganha nada!

Agora é ir pra Bolivia (quase perto do espaço) e começar a Libertadores. Agora sem traumas!

Vai Corinthians!!!!

Autor do post:
Sandro Terranova

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post