Alex não vai voltar, mas e daí?

Foi anunciado ontem no Couto Pereira, para a felicidade geral dos torcedores do Coxa e para a tristeza geral de palmeirenses e cruzeirenses, que Alex acertou sua volta ao Coritiba.

Não vou dizer que não fiquei decepcionado. Isso é claro. Quem é que não deseja contar novamente com um dos melhores jogadores que já atuaram com sua camisa? Duvido que ALGUM cruzeirense no mundo não queria o Alex de volta. Minha decepção foi mais do caso “perdemos um ídolo, um excelente jogador” do que “o Alex não gosta da gente”.

É claro que o Alex gosta da gente. Se não gosta, é louco. Somos uma das torcidas que mais o idolatram, aqui ele ganhou TUDO, foi reconhecido internacionalmente. Aqui Alex virou craque. Mas temos que entender, e aplaudir, um cara que deu preferência ao seu clube do coração, o clube da família, dos amigos, da sua cidade, mesmo que esse clube não seja o maior ou o melhor do Brasil.

Diferentemente da maioria desses jogadores que voltam, como Deco, Zé Roberto, Ronaldo, Roberto Carlos, Alex não foi para quem lhe deu mais dinheiro, contrariando suas declarações e desejos. Voltou ao clube que o revelou. Já disse aqui antes que acreditava que Alex poderia voltar ao Coxa para ganhar algum título, coisa que não fez em sua primeira passagem por Curitiba. Boa sorte para ele.

Eu não estou me importando muito com a não volta de Alex pelo simples motivo do surgimento do maior craque de todos os tempos das últimas rodadas. Martinuccio, o Cappuccino Azul.

Messinuccio caiu como uma luva no Cruzeiro e elevou o nível da equipe desde que começou a jogar, além de construir a melhor dupla desse universo. Muito melhor que Messi e Aguero, Rooney e um atacante holandês que esqueci o nome, Caju e Castanha, Claudinho e Buchecha, Pelé e Coutinho, a dupla da vez é a “Toco y me voy”, a dupla M&M’s, Montillo e Martinuccio.

Dois argentinos loucos, habilidosos, rápidos, que sabem fazer gols e dar assistências. Não peço muito mais que isso num time de futebol. Assim, até Anselmo Ramon pode ser artilheiro.

A melhora é tamanha que os jogadores do Cruzeiro estão se iludindo ao ponto de acharem que têm chances de conquistar uma vaga para a Libertadores. Tá, gente, nós sabemos que o Atlético é ridículo e adora cair pelas tabelas no fim do campeonato, mas estamos muito atrás. Se for pra alguém sair lá de cima, é um ou outro, e acho que precisaríamos estar muito mais próximos aos times lá de cima para roubarmos alguma das vagas. Estamos na oitava colocação – por enquanto somos os vice-líderes do grandioso troféu sétimo lugar – a doze pontos do São Paulo, time que parece muito melhor e mais bem armado que a gente. Na verdade, acho que as outras três vagas já estão definidas. Fluminense, Atlético e Grêmio vão à próxima Libertadores. A última vaga deve ficar entre São Paulo e Vasco. Mas é claro, tudo pode acontecer, o Atlético pode dar uma de Atlético, mas não acho que as coisas vão mudar muito daqui pra frente.

Digo, repito, falo mais uma vez, e escrevo aqui o quanto me for permitido. Esse ano foi jogado fora desde que renovamos com Mancini. Além disso, Roth não tem perfil de Cruzeiro, e as boas contratações chegaram tarde demais. Agora que não temos mais chances de cair, devemos pensar na próxima temporada, já trazendo o próximo treinador (Sampaoli, estou olhando para você), trazer os jogadores que ELE quiser (muitos gringos, Lorenzetti, Messi, Cazorla, pode escolher) e recriar o Cruzeiro de 2003 em 2013, olha que legal.

Façam isso acontecer, por favor, e muito obrigado.

Autor do post:
Michael Renzetti

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

2 Comentários

  • Wellington Schettini

    Parabéns pelo texto.

    Fiquei muito decepcionado com o Alex, mas é isso mesmo, ele mostrou hombridade e voltou pro time q ele realmente ama desde criança, o Cruzeiro ele aprendeu a gostar pelas felicidades aqui vivida, mas não é a casa dele.

    E concordo com vc, o momento é agora de pensarmos em 2013, trocar o técnico, e encaixar esse grupo de médio pra bom e transformar ele em um grupo vencedor.

    • Jair Mascarenhas

      O cruzeiro é um grande time…merece um técnico à altura.
      2013, com as novas contratações e futuramente novo técnico, tem tudo para ser o ano de grandes conquistas.