Alô, Goiânia! [Atlético-GO 0 x 2 Cruzeiro – Brasileirão 2012]

Deus Perdoa, Borges não! (Foto: Ramon Bitencourt/VIPCOMM)

E aí, tudo azul?

Depois de um primeiro turno cheio de instabilidade, de desconfianças e até de preocupação com o que seria do time de agora em diante, fomos à linda Goiânia e vencemos o Atlético Goianiense por 2 a 0 na primeira rodada do returno ou a vigésima de todo o Campeonato Brasileiro – o que vocês preferirem chamar. O jogo não foi nenhuma maravilha, não impressionou ninguém, mas pelo menos começamos o returno com três pontos que serão fundamentais.

O time de coração do Carlinhos Cachoeira vinha embalado e não perdia desde a partida contra o Botafogo, pela décima quarta rodada – para o nível que está a zona do rebaixamento deste ano, é muita coisa. Ainda mais no Serra Dourada, onde segurou o Atlético de Lourdes com um jogador a menos e ganhou com propriedade do São Paulo e do Guarani da Capital Paulista.

O Cruzeiro, para variar, ia mais uma vez cheio de alterações para o jogo – que parecia ser difícil. Até com uma que deixou todos os torcedores mais revoltados do que o Tufão ao descobrir que a Nina estava noiva de outro homem, que foi a saída do Lucas Silva para a entrada do Sandro “Calamidade” Silva. Só que tudo conspirava para o bem e a entrada do maior zicador da história do futebol não teve nenhuma influência negativa.

A dificuldade ficou só na impressão, pois o que vimos foi um Atlético que tinha posse de bola, mas não sabia transformar isso em perigo e nem em chances de gol. O Cruzeiro, cautelosamente, se defendia. Até que aos 26 minutos do primeiro tempo, em uma confusão na área após uma cobrança de escanteio, a bola sobrou para o Cyborges abrir o placar com muito oportunismo.

Só que este gol não deixou o jogo mais fácil, pelo contrário, os goianos conseguiram, graças à inocência do Wallyshow, um pênalti para o Márcio – aquele mesmo que emula o Rogério Sênior – bater. O cover errou, agora é torcer para que o original também erre e pare de dar tanta sorte contra o Fábio no Morumbiba.

E o primeiro tempo chegou ao fim com um futebol horroroso. Sendo que o treinador deles resolveu partir para cima e fez algumas alterações ofensivas, colocando o Joílson para cair mais pelo lado direito e o Diogo Campos, que estava jogando improvisado, voltar ao ataque, sua posição de origem. Isto resultou em 20 minutos onde o Cruzeiro entrou em campo e fez de tudo, menos jogar futebol.

Até que o nosso batedor de pênaltis favorito substituiu o Borges – que parecia estar cansado de andar que nem uma barata tonta perdida no campo do Atlético Goianiense – e, logo de sua entrada, teve um pênalti para bater. E ele decretou o 2 a 0 aos 25 do segundo tempo. É bom ressaltar que o Wellingol teve alguns lampejos de Wellinshow, dando dois excelentes passes de calcanhar que foram desperdiçados pelo Wallyson e pelo Souza. Só não entendi a comemoração ao melhor estilo cone no gol – será que ele resolveu assumir tal papel?

O jogo foi se arrastando até acabar com mais uma vitória , a primeira deste segundo turno – que não é o das eleições, mas é tão emocionante quanto. E, sendo um segundo turno de respeito, todos nós sabemos que tudo pode mudar a partir de agora. Ainda mais que voltamos a manter proximidade com um G4 que tem um Vasco caindo pelas tabelas, um Atlético que todos nós sabemos que é, um Fluminense que ainda não se acertou 100% e um Grêmio em ascensão. Ou seja, não é tão surreal sonhar com uma vaga na Libertadores, mas mantenhamos nossa realidade de Sula Miranda até que o time dê mostras que quer a vaga.

Não vimos o melhor dos jogos, pelo contrário, foi um jogo horroroso e que deu sono a todos que o acompanhavam. Mas é nesse tipo de jogos que temos que pontuar. Ainda mais que não conseguimos ganhar do mesmo Atlético Goianiense em Uberlândia, no início do campeonato. Foi uma vitória cirúrgica, já que o time não esteve bem taticamente e estava como uma colcha de retalhos. Agora teremos quatro dias para nos preparar, ver que voltará do departamento médico e aproveitar os jogadores que voltarão de suspensão. Pena que o Thiago Carvalho – outro jogador que está em uma crescente com o Roth – tomou o terceiro cartão amarelo.

Agora é pensar no Náutico, um time que está bem acima de todas as minhas previsões e virá ao Independência para fazer um jogo de 6 pontos – principalmente porque sabe jogar em casa. Não vai ser moleza contra ninguém até o final do ano, mesmo se enfrentarmos o lanterna de uma rodada em questão com o time juvenil, é guerra até o final do ano. Que todos tenhamos paciência com o time e o ajudemos a conquistar mais uma importante vitória, para, quem sabe, brigarmos de fato por uma vaga na Libertadores.

E vocês, o que esperam do Cruzeiro nesse restante de campeonato após a primeira vitória do segundo turno?

Uma ótima semana a todos. E sempre é bom lembrar que às 18:30 do próximo domingo, todos os caminhos nos levam ao Independência.

Arrocha, Cruzeiro!

Autor do post:
Pedro Oliveira

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

3 Comentários

  • Stefano "Poke" Marchesini

    Três pontos.
    Gol do Borges.
    Partida boa do Montillo e do Wallyson.

    É, valeu. #14PontosEContando

    • Marcio Vicente

      Espero que o time se ajeite, mas espero também que o Roth não invente e tire o Lucas Silva do time. Na verdade espero que mais jogadores da base venham para o time principal….

      • Camila

        WP9 entrou bem no jogo, querendo mostrar serviço, isto só mostrou pra mim que ele é um ótimo jogador pra entrar no segundo tempo.
        Eu estava lá e os torcedores gritaram o jogo inteiro “lucas silva, lucas silva” O menino já ganhou espaço no time, pelo menos no coraçãozinho dos torcedores.
        Se o Cruzeiro estivesse um pouquinho só melhor em campo, tinha ganhado de uns 4, mas estava muito mal. Então né…