Campeonato Montanha-Russa

Você sabe como funciona o campeonato montanha-russa? Exatamente da forma a qual nos estamos vivenciando. Já passamos por anos assim e nem por isso deixamos de ser cruzeirense e não será 2012 e nem o galo líder que farão isso mudar. Basicamente funciona assim: o Cruzeiro ganha três jogos, aí na sequência perde dois, depois volta a ganhar um jogo, posteriormente perde mais dois e assim sucessivamente até chegarmos ao final do campeonato com aquela modesta posição de “meio de tabela”. Isso, meus amigos, é a montanha-russa de qual falava.

E por que mesmo que acontece isso? Para você que fez essa pergunta agora, a resposta parece vaga, mas não é. Na verdade é um conjunto de fatores que acabam nos propiciando com esse ano interminável e angustiante. Para mim, os fatores determinantes são:

1 – Time reforçado e montado às pressas e de qualquer jeito. Não precisa nem comentar o trabalho de porco que a diretoria fez esse ano né. Sabiam que o Mancini não daria certo, mantiveram-no assim mesmo, trouxeram uma dúzia de jogadores de série B, tiraram o Mancini, trouxeram o Roth, embarcaram mais meia dúzia de jogadores série B, outra dúzia foi dispensada porque se tocaram da besteira que fizeram, e no final das contas, só salvaram com Borges e Ceará. Resumindo: quando encontramos um time mais tosco que o nosso, ganhamos, quando jogamos com um arrumado e planejado, perdemos. E quando enfrentamos uma equipe equivalente, empatamos. Considerando a 6ª posição, pode-se perceber que o Brasileirão está recheado de times mal montados.

2 – Estamos na 16ª rodada e não temos um time titular. Cada hora que nos encontramos na parte de baixo da montanha-russa o professor muda pelo menos uns três jogadores na titularidade. O ideal seria ter um time titular com aproveitamento bom e que com uma eventual derrota aqui e ali seria ajustado taticamente e com a mudança de um ou outro jogador. Nada drástico. Mas só alcançaremos esse patamar quando o técnico confiar no próprio time que escala e não mudar a cada derrota por pressão da torcida ou da imprensa.

3 – Treinamento e substituições. Percebe-se que o time está sem consistência tática, está perdendo as forças a partir da segunda metade do segundo tempo (condicionamento físico) e para ajudar, o Celso só faz besteira nas substituições; não pelos jogadores que entram, mas o porquê da substituição é que ninguém está entendendo. Isso claramente leva à oscilação do time na partida e da equipe no campeonato.

4 – Impaciência da torcida. Quando ganha todo mundo é bom, quando perde todo mundo é vaiado, quando empata todos fazem protesto. Esse temperamento de vulcão não dá certo né gente. Os caras não conseguem 15 minutos seguidos de apoio da torcida em jogos em casa sem serem vaiados e xingados. Isso gera descontrole (vide Charles) e desconcentração levando às eventuais derrotas. Este fator, entretanto, é o que menos influencia dentre os citados.

Por fim, pessoal, nos resta mesmo é torcer e ter paciência para passar logo essa fase. Não se iludam com as vitórias, nem desistam com as derrotas. Acostumem com a montanha-russa de 2012 e tenham em mente que a 6ª posição está de bom tamanho para quem acabou de sair do abismo futebolístico em que nos encontrávamos ano passado.

Autor do post:
Bernardo Moreira

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

8 Comentários

  • Pedro Oliveira

    Concordo com tudo exposto, Mintira!

  • Jader Brant Coelho

    Bom dia Bernardo e Nação Celeste. Parabéns, belíssimo texto. O verdadeira montanha Russa…

    1. Sorte nossa ter mais de 60% dos times em pior situação… Tanto nas contratações, quanto na organização, quanto na pressão, e principalmente financeiramente.

    2. Um time pra se manter entre os melhores tem que tomar forma, porém muitas das vezes o Profº faz as mudanças pra agradar a torcida… Caso Everton depois das vaias ensurdecedoras, WP depois da chegada do Borges, Matheus, Charles a pouco (esse se manteve não sei por que)… Não que todos citados não mereçam perder a vaga… Some Everton! Mais um treinador tem que montar SEU time titular, pois se for pra torcida montar não a necessidade de tê-lo aqui.

    3. Técnico e comissão também são culpados pela “montanha Russa”… Cadê a consistência tática que o Roth tanto fala?

    4. FATO, a torcida de campo infelizmente hoje, em minha opinião, está mais atrapalhando que ajudando (não é generalizado)… Os números não me deixam mentir, ganhamos mais pontos e tivemos mais vitórias longe dos nossos domínios… Fazer ponto fora é bom… mais fazer o dever de casa é essencial. Nunca foi assim, na nossa casa quem manda somos nós, e isso não pode deixar de acontecer!

    E por fim, seu “por fim” resume tudo… Estamos bem até de mais pelo que nos aconteceu nesse ano que passou “abismo futebolístico” e no inicio dessa temporada. Vamos agir como a torcida ARG, que apóia a instituição acima de tudo durante os jogos… Perdendo ou ganhando estão cantando dando apoio… Acabou o jogo manda pra onde acharem melhor os jogadores, ou o jogador, ou treinador, ou presidente ou mesmo até eu… Se acharem que devem… rs… Mais depois do jogo… Não pressione uma equipe que vem pressionada desde o fim do ano… Agradeça por não está passando pela mesma coisa novamente… Já vimos que a maioria dos timecos que brigam pra cair, nosso rival, passa anos pra sair dessa situação… Nós já praticamente saímos! #ForçaCruzeiro #CruzeiroSempre

    • Bernardo Moreira

      Falou e disse Jader! Imagina você trabalhando e “20 mil pessoas” te vaiando e vigiando o que vc ta fazendo..não há pessoa que consiga.
      Sou a favor do apoio e o time tem se comportado no campeonato de acordo com as minhas expectativas…será esse perde e ganha ate o final, a nao ser que o Roth arrume a casa.

      • Jader Brant Coelho

        A nossa maior esperança é que o Roth sabe trabalhar com elencos defasados, apesar de achar que o nosso, pegando ritimo tem até a chance de dar liga! #Oremos
        Abç
        #CruzeiroSempre

    • Camila

      O 4º ponto tem sido determinante para jogos em casa. A torcida, no último jogo, arrumou uma coisa de vaiar e xingar o técnico, achei totalmente desnecessário.
      É triste dizer isto, mas, prefiro ser meio de tabela do que passar o aperto do ano passado.

    • Plano “Campeão de tudo 2013” número 1 » OsGeraldinos

      […] e contando…), mas como já disse aqui no blog, estamos vivendo o campeonato montanha-russa (clique aqui para ler. Ou não) e creio que com mais uma vitória aqui e outra acolá e alguns empates poderemos […]