Cinco pontos e contando [Flamengo 1 x 1 Cruzeiro – Brasileirão 2012]

"Pega, Léo, pega!" (Foto: Bernardo Monteiro/VIPCOMM)

E aí, tudo azul?

O Cruzeiro até que alternou entre bons e maus momentos na partida, mas não conseguimos a vitória que queríamos contra o Flamengo no Engenhão. A partida foi válida pela trigésima rodada, ou a décima primeira do returno do Campeonato Brasileiro de 2012 – o último antes do fim do mundo.

Apesar de o resultado não ter sido dos mais agradáveis, confesso que dessa vez sim vi melhorias na atuação do time, que começou com a volta do Ceará ao time titular e com o Martinuccio no lugar do Borges. Antes que muitos venham me apedrejar, por mais fã que seja do Cyborges, ele realmente estava em uma péssima fase e a alteração foi coerente. Finalmente uma atitude correta do Roth.

O único erro na escalação, até pelo que tinha, foi a manutenção de Willian Magrão e Marcelo Oliveira juntos. Aquilo é um combo de ruindade, fora que você sabe que é igual à deixar remédios ao alcance de crianças, sabe que vai dar merda a qualquer momento.

Mas o time não começou bem. O Celso tinha armado uma proposta interessante, que se recompunha ao ser atacado em um 4-5-1 e que fazia um 4-3-3 ao ser ofensivo, com o Ramonstro como único homem de área. Porém, nada disso adiantou com o Flamengo tomando as rédeas do jogo e abrindo o placar em um lance duvidoso com o Liédson completando após um passe do Love aos 10 minutos do primeiro tempo – que teve uma mãozona lá para ajeitar e que mudou a trajetória da bola. Foi uma falha clamorosa da zaga, que estava mais parada que o Cristo Redentor, admirando o ataque flamenguista.

Só que ao contrário do que aconteceu na maior parte do campeonato, o Cruzeiro soube esboçar reação e empatou logo aos 18, em um excelente cruzamento do Messinuccio para o Éverton. Sim, amigos, o Éverton fez um gol de cabeça e se consolidou como o Rei do Engenhão – já que havia feito um gol na partida contra o Botafogo pelo primeiro turno.

Depois disso, o Cruzeiro teve as melhores chances e o Flamengo teve a posse de bola. Um jogo realmente equilibrado e muito movimentado. Claro, teve o gol que o Anselmo Ramonstro perdeu – o Felipe também teve méritos –. O único lado ruim do time estava no meio de campo, com os milhares de passes errados e a marcação mais frouxa que um biquíni mal amarrado de uma linda morena na Barra da Tijuca da dupla Willian Magrão e Marcelo Oliveira.

O jogo foi para o intervalo com o Cruzeiro ligeiramente melhor que o Flamengo e precisando apenas de uma correção na armação dos volantes. Correção esta que viria com a entrada do Charles, mas ele estava mais louco que o habitual e só faltava arrumar um cartão vermelho – graças a Deus isto não ocorreu.

O segundo tempo começou com o time sofrendo vários ataques, mas também contra-atacando. Pena que o Cruzeiro não sabe aproveitar nenhum contra-ataque, pois poderia ter voltado com três pontos preciosos do Rio de Janeiro. Esses pontos seriam tão importantes quanto qualquer reportagem do Ego na Praia de Copacabana.

Houve dois lances polêmicos para o Flamengo. O gol anulado do Liédson é bem questionável, já que a imagem não é bem clara e eu acho que estava impedido. Já no lance do recuo de letra do Ceará, concordo que fomos favorecidos, o Love sairia na cara do Fábio caso não houvesse aquele recuo. Foi um recuo tão descarado quanto uma presença “vip” de uma subcelebridade em qualquer festa inútil na capital carioca.

Por fim, o Élber entrou bem no jogo – substituindo o já cansado Martinuccio – e o Diego Renan estava mais perdido que um turista finlandês- sem saber falar um oi em português – na Avenida Brasil, tanto que sua entrada foi péssima para o lado esquerdo que, apesar do Marcelo Oliveira, estava muito bem no jogo com o Éverton.

Enfim, seguimos precisando apenas de 5 pontos para termos tranquilidade no restante da competição e aí então termos um campeonato de “o que vier é lucro”. Tomara que consigamos uma vaga na Sula para, pelo menos, salvarmos o ano. Até porque, pelo novo critério da Copa do Brasil, essa vaga pode não servir de nada, mas já valeria pelo menos para termos uma boa base na construção de um 2013 melhor. A próxima batalha é contra o Corinthians na linda Varginha, na próxima quarta.

E vocês, o que acharam?

Que tenhamos uma excelente semana!

Vamos, Cruzeiro!


Autor do post:
Pedro Oliveira

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post