É muita identificação e compaixão [Palmeiras 2 x 0 Cruzeiro – Brasileirão 2012]

Cresci vendo Cruzeiro e Palmeiras disputando títulos na década de 90, criando uma rivalidade nacional. Nesse sábado, vi um jogo entre esses times num cenário bem diferente: o Cruzeiro jogando por nada, pra cumprir tabela, e o Palmeiras lutando pra não ser rebaixado pela segunda vez. Fico triste com a situação dos dois times. Mentira. Fico triste só pela situação do Cruzeiro mesmo. Como previsto, o jogo foi ruim mesmo. E pelo fato dos palmeirenses estarem jogando a vida e o time celeste sem motivação alguma (todos sabiam que era impossível conquistar uma vaga pra próxima Libertadores), eu não esperava nada do Cruzeiro. Ganhamos bem na quarta-feira, mas foi do Corinthians misto, que teve até um chinês jogando. Nada de se empolgar.

Com os dois grandes desfalques de Montillo no meio-campo e de THIAGO HELENO na zaga adversário, o Cruzeiro fez um jogo muito ruim. Se salvaram apenas duas jogadas no primeiro tempo que tiveram boas conclusões de Anselmo Ramonstro, uma bem defendida pelo goleiro e outra que caprichosamente beijou a trave por causa de uma MACUMBA feita por um cara do Palmeiras que jogou sal grosso no gol antes do jogo. Muita sacanagem com o Anselmo Ramon um trabalho desse pra atrapalhá-lo a marcar seu gol. É mais sacanagem que aquele corte que fizeram no cabelo dele.

Mas, enfim, as duas chances de gol do Anselmo foram as duas únicas vezes que o Cruzeiro ousou chutar a macumba dos porcos. Depois, time e treinador passaram o segundo tempo inteiro assistindo o Palmeiras buscar a vitória. E ela veio com dois gols de Barcos, um de cabeça nas costas do Mateus e outro com um drible que provavelmente causou alguma outra contusão no tornozelo do Ceará. Acho que tínhamos que buscar esse Barcos pra jogar com Montillo e Martinuccio. Daí ficaria faltando só mais sete argentinos pra juntar com Fábio e formarmos o time ideal para o ano que vem.

O confortante nesse jogo foi ver que temos um time HUMANO, que teve toda a compaixão com o time do Palmeiras. É de conhecimento de todos que o Cruzeiro já tem o costume de ajudar times que estão na zona de rebaixamento. Mas a solidariedade com o Palmeiras nesse momento é maior, pois ele é um time que também tem origem italiana, que passa pelos mesmos apuros que passamos no ano passado e que também acabou de perder o Alex para um time do nível do CORITIBA… É muita identificação com a gente. Não tem como não ser solidário.

Palmeiras, essa foi a ajuda do Palestra Itália que nunca caiu. Aproveite-a.

Abs.

Autor do post:
Rafael Igor

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post