Mal acostumado você me deixou

Auremar de Castro / Estado de Minas

Olá amigos, há quanto tempo!

Fiquei de fora do blog por uma GIGANTESCA semana por motivos de viagem (estava na Argentina tentando viabilizar a vinda do Riquelme para o Cruzeiro, sem sucesso) e sei que TODOS vocês estavam morrendo de saudades de meus textos bobos pedindo paciência para com o time ou tentando argumentar que o Montillo é o melhor jogador da história do futebol. Eu também estava com saudades de escrever por aqui.

O título desse texto, escrito meio que semanticamente torto, não tem nada a ver com o Yoda. É mais um daqueles trocadilhos ridículos com canções que servem de uma maneira boba para exemplificar algo realmente sério sobre nossa equipe. Nós estamos mal acostumados.

O Cruzeiro, desde 2007, vem disputando as primeiras colocações do Brasileiro, o título da Libertadores e goleando o Atlético. Agora, em 2012, nós estamos achando que isso é completamente normal e que ficar abaixo desse nível é inaceitável. Emulando um Cléber Machado, direi que, na verdade, é e não é inaceitável nossa atual situação.

Pela grandeza do nosso clube, pelos títulos conquistados, pelo que o Cruzeiro representa no cenário desportivo brasileiro, é inaceitável esperar algo que não seja disputa por títulos. Nós somos um time de ponta. Um dos melhores do Brasil. Com uma ótima infraestrutura, organizados, com DOIS excelentes centros de treinamento. Não somos “pouca bosta”, como diriam aqueles.

Mas, entretanto, todavia e aquela outra palavra com o mesmo significado que não estou conseguindo lembrar nesse exato momento, o futebol brasileiro não é organizado o suficiente para que existam times de ponta. Se, a cada temporada disputada, o Cruzeiro – e quase todas as equipes do Brasil – necessita de VENDER 200% de seus atletas para grupos, organizações, times do leste europeu, e tenta reformular seu time enquanto disputa um péssimo campeonato regional, não tem jeito de ser apontado como postulante a NADA nos torneios vindouros.

Tanto que o super Cruzeiro do início de 2011, vulgo Barcelona das Américas, era visto como o principal candidato ao título da Libertadores e do Brasileiro do mesmo ano, e acabou eliminado do torneio Sul-americano pelo infame Renteria e quase rebaixado no certame nacional. Assim, posso dizer que nossa atual situação de montanha russa é aceitável.

Mas é claro que eu não quero que seja aceitável. Eu quero é que o Cruzeiro seja a exceção da regra e vença todos os jogos, todos os campeonatos, contrate o Messi, seja mais rico que o PSG e nunca passe por dificuldades. Mas sei que a coisa não funciona assim. Às vezes um grande se apequena por um tempo para se reorganizar e voltar mais forte do que nunca. Esse ainda não é nosso caso, e espero que nunca seja. O final de 2011 foi uma aberração e hoje estamos na oitava colocação do campeonato brasileiro, posição cômoda para uma equipe em reformulação.

Tinha esperanças para esse ano, achava que o time poderia conseguir disputar algo, mas a cada derrota ridícula vou deixando esses sonhos de lado. Acho que o @stefano_poke tem razão. Devemos nos preparar para 2013. Com a base de Fábio, Ceará, Guerreiro, Tinga, Montillo e Borges, acrescida de boas contratações e os melhores jogadores da base, podemos sonhar com a Copa do Brasil do ano que vem e uma boa colocação no campeonato nacional. É escolher bem o treinador – que não deve ser Celso Roth – e fazer um bom planejamento para voltar ao topo no ano que vem.

PS: Eu não consigo matar minhas esperanças e ainda não descarto o título brasileiro. Sei que não vamos ser campeões, mas sou um TORCEDOR, e meu dever é torcer e acreditar. O Grêmio de 2008 era o líder e “melhor time do mundo” e conseguiu perder o título, o Atlético de 2009 era o líder e “melhor Atlético desde os anos 80” e conseguiu perder o título e a vaga na Libertadores (eterno flanelinha). Nada está decidido. Em se tratando de campeonato brasileiro, eu acredito em tudo, não descarto nenhuma possibilidade.

Autor do post:
Michael Renzetti

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

2 Comentários

  • Bernardo Pereira Moreira

    O poblema é que a massa da torcida não entende o tempo de transição…por isso tá essa pressão, protesto, reclamação, o diabo a quatro.. coisa que não estaria se o atrético tivesse pra tras da gente. Aí nao tava tendo metade dessa novela toda.. todo mundo sabia que depois de 2011 esse ano seria assim..pq agora parece tao pior?
    Acho que isso ta atrapalhando demais.. nego se preocupa mais com o gaylo na frente do que com a situação do cruzeiro

    • Camila

      Eu também, como torcedora, acredito, mesmo que seja impossível.
      Vou gritar, vou chorar, vou torcer…
      E espero piamente que 2013 seja bom e acho que vai ser. Seria difícil montar um time esse ano, já que nosso amado Perrella foi embora e deixou nosso caixa mais vazio que sacola furada de mendigo :/
      O que deu pra comprar, alugar, pedir emprestado… bem, está aí. Agora é pensar forte no ano que vem *-*