Necessitamos vencer e passar num terreiro em Salvador [Bahia x Cruzeiro – Brasileirão 2012]

Ganhar da Ponte Preta no Independência e do Santos deformado, ainda que na Vila Belmiro, era obrigação para o Cruzeiro. As derrotas nas duas últimas partidas foram desanimadoras, principalmente a ocorrida sob o efeito da maresia santista, em que tomamos QUATRO gols, sendo três deles marcados por BILL, DURVAL E UMA CRIANÇA DE 16 ANOS. Agora, vencer o Bahia, antepenúltimo colocado no DILMÃO 2012, tornou-se mais que obrigação, é uma necessidade para o time celeste mostrar que não é um andarilho errante sem destino definido na tábua de classificação desse campeonato. Assim como também é uma necessidade não sair de Salvador sem passar no Terreiro do Axé Opô Afonjá para tentar acabar com a zica braba que o Cruzeiro carrega há pouco mais de um ano, a famosa Uruca do Cuca.

Juarez Roth deve mexer muito no time titular para o jogo desse sábado. Roth ficou tão puto quanto a gente com a atuação contra o Santos B que ele classificou como abaixo do crítica. O treinador não confirmou as alterações, mas no treino dessa sexta-feira sinalizou cinco mudanças nos onze titulares que começaram a última peleja: Thiago Carvalho no lugar de Victorino na zaga, Marcelo Oliveira no lugar de Diego Renan na lateral-esquerda, Lucas Silva e Charles nos lugares de Sandro Silva e Tinga no meio e a volta de Wellington Paulista ao ataque para a saída de Wallyson para a ALEGRIA GERAL da Nação Azul. Com essas trocas, o Cruzeiro deve sair do esquema tático 4-2-3-1, que prometia muito depois da vitória sobre os Suínos do Parque Antarctica, e voltar para o 4-3-1-2, com Montillo centralizado fazendo a ligação com o ataque em vez de aberto pela esquerda.

Eu achava que o time encaxaria daquela forma como conseguiu uma ótima vitória sobre o Palmeiras e teria mais cara de Cruzeiro, mas as duas derrotas seguintes foram ridículas o suficiente para destruir meu time ideal. O Celso tinha que mexer no time de algum jeito mesmo. Victorino não me deixa ser contra sua saída do time e aprovo os três volantes. Acho que o Cruzeiro tem que se retrancar porque, como disse o Montillo, não pode tomar gol fácil logo depois de custar a marcar um, isso destrói o time, a torcida, todos, como aconteceu nos jogos dessa semana. Só não sei se Marcelo Oliveira improvisado na lateral-esquerda fará algo que não seja entregar a paçoca e se Wellington Paulista ao lado de Borges vai dar certo ainda que seja isso seja mais difícil que o Brasil liderar o quadro de medalhas em Jogos Olímpicos.

Mas vamos torcer porque ainda tem muito campeonato pela frente. Estamos a cinco pontos do Grêmio, o quarto colocado. O Cruzeiro é irregular, mas Botafogo, São Paulo, Inter e Grêmio, os times que nos separam do G-4, também são irregulares. Não podemos desanimar. Temos que buscar pontos sempre. E a missão em Salvador hoje é vencer e passar num terreiro.

Vamos, Cruzeiro!

Autor do post:
Rafael Igor

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

1 Comentário