O ano já pode acabar [Ponte Preta 1 x 0 Cruzeiro – Brasileirão 2012]

"O time desse ano é a cara da minha gestão!" - TAVARES, Gilvan de Pinho, 2012. (Foto: Washington Alves/VIPCOMM)

E aí, tudo azul?

Se teve uma partida que sintetizou com clareza esse ano seboso que o Cruzeiro viveu – o ano passado foi muito tosco, mas pelo menos tivemos uma fase boa no início do ano -, foi esta derrota por um tento a zero para a Ponte Preta na alegre Campinas. O jogo foi válido pela trigésima terceira rodada do Campeonato Brasileiro de 2012, mas já estamos implorando para que o ano acabe o mais rápido possível.

Muita gente fala que nem perde mais tempo com esse Cruzeiro do Roth e do Gilvan. E nem condeno os que não perdem mesmo, porque passamos raiva, xingamos, ficamos à beira de um ataque cardíaco e nos revoltamos com um bando de jogadores medíocres e que estão com o foda-se ligado desde o momento no qual as chances de rebaixamento se tornaram irrisórias.

O time é a cara do presidente fraco e omisso que está comandando o Cruzeiro. Aliás, que me perdoem os otimistas, mas com esse Gilvan Velha Surda pensando pequeno desse jeito, nós não vamos a lugar algum nas próximas temporadas. Esse cara é um Ziza Valadares sem bigode. Todas as trapalhadas que o Leôncio fazia do outro lado da Lagoa estão sendo repetidas por esse dublê de presidente de clube de futebol. Mas vou retomar o assunto diretoria mais à frente no texto.

O jogo era aquele que tinha todos os ingredientes para ser uma bela merda. Montillo fora, a zaga toda remendada, o trio de volantes não passava a menor confiança, o Souza entrou com a camisa 10 e até o Fabinho – que eu achava que tinha sido abandonado no lixão da Mãe Lucinda – voltou a ser relacionado. Fora que o time já está mais preguiçoso que o habitual ao chegar na “zona de conforto”, aí vocês já sabem que a chance de dar tudo errado é gigantesca.

E o cotejo começou naquele clima de fim de feira, com o Cruzeiro errando todos os passes, sem ninguém para chamar a responsabilidade e tentar acertar pelo menos alguma coisa. O Marcelo Oliveira continuava a errar, o Éverton não fazia uma boa partida, o ataque não recebia nenhum passe e a zaga dava indícios que bateria cabeça. Fora que até o Ceará – que não é de jogar mal – estava relembrando os piores momentos do Diego Renan.

A Ponte vinha embalada pela vitória sobre o Santos, mas uma coisa ainda estava pendente. O Roger, artilheiro da equipe e principal nome do ataque, estava há 14 jogos sem marcar um mísero gol. O Cruzeiro, que tem se profissionalizado em ser uma mãe para todos, tratou de resolver isso e acabou com a seca dele! Um a zero para os campineiros aos 32 do primeiro tempo, após um cruzamento do promissor Luan.

Depois desse gol, que saiu após uma falha do Marcelo Oliveira no meio de campo e de outra falha do Caveirão Donato na marcação, o time queria pressionar, só que não sabia como. Caiu naquele velho problema da falta de qualidade do elenco. Ninguém sabia o que fazer, como fazer e nem como atacar um adversário que, mesmo em casa, ficou com medo de um Cruzeiro tão podre e bunda mole.

Fomos para o intervalo e o Juarez Roth pensou: “Agora eu mudo a história do jogo”! Mudou sim, colocou o terrível Fabinho no lugar do inútil Souza. Daí vocês podem perceber como fomos para o segundo tempo de forma “brilhante”.

O Fabinho é tão ruim, mas tão ruim, que foi contratado apenas para correr e dar velocidade ao ataque, mas nem isso consegue fazer. Qualquer peladeiro de final de semana faria exatamente o que ele faz em campo e ainda aceitaria receber menos. Fora que ele ainda avacalhou uma das poucas jogadas claras de gol, após isolar um rebote de uma finalização do Wellington Paulista – que entrou no lugar do Martinuccio. Além disso, o Élber entrou no lugar do Marcelo Oliveira, só que isso tudo não adiantou absolutamente nada.

Esboçamos uma reação nos últimos 20 minutos do segundo tempo, mas a falta de qualidade pesou.  Mas vamos esperar o que de um time que erra 37 passes em uma partida de futebol profissional?

Fizemos uma partida que sintetizou bem a temporada. Começamos absurdamente mal, tomamos um baque, esboçamos reagir – enganando todo mundo -, ficamos sem rumo, ameaçamos fazer alguma coisa e terminamos no limbo do Campeonato.

Nada me tira da cabeça que todo mundo no Cruzeiro está abrindo garrafas de champanhe, fazendo festas e até pagando premiações aos jogadores porque o real objetivo da diretoria com esse elenco tão ruim quanto “Salve Jorge” era apenas fugir do rebaixamento.

Falando em diretoria, é vergonhoso ver esse cidadão que colocaram na Presidência do Cruzeiro dar entrevistas. O Gilvan, além de fraco, é extremamente mal assessorado. Ele não pode abrir a boca que sai um caminhão de besteiras. Como esse time poderia brigar por algo melhor? Com esse planejamento de Grêmio Itinerante que vocês fizeram ao montar um time em janeiro, desmontá-lo em abril e reconstruí-lo ao longo da temporada?

Fora a estupidez de alegar “falta de dinheiro”. Se estava sem dinheiro, apostasse na base! Porque o dinheiro que gastamos trazendo aquele bando de inúteis – muitos ainda continuam no elenco – e demitindo vários deles depois, serviria para montar um time, no mínimo, razoável. Além disso, se não tinham recursos em caixa para investir, por que não apostaram na base mesclada com quem se salvou da péssima temporada de 2011? Por que mantiveram uma base que quase foi rebaixada no ano anterior? Por que esperaram o ano começar para trocar o diretor de futebol?

Por essas e outras que eu tenho certeza que as coisas só vão melhorar no Cruzeiro no dia que a torcida tiver, de fato, uma participação real no cotidiano político do clube. E não apenas meia dúzia de sócios preocupados apenas se a piscina da Sede Campestre tem cloro demais ou não, se vai vir a Cláudia Leitte ou a Ivete Sangalo no Churrasco do ano que vem, ou se podem levar algum acompanhante ao clube de graça neste final de semana.

Quem realmente coloca dinheiro na instituição somos nós, que enfrentamos filas para ver o time, viajamos para ver alguns jogos vergonhosos – inclusive não largamos o time quando ele teve que jogar fora de Belo Horizonte por dois anos -, assinamos pay-per-view, pagamos o Sócio em dia – recebendo quase nada em troca – e compramos camisas com um patrocinador que nunca nos desceu.  Que a diretoria respeite o torcedor e leve em consideração os seus apelos para a montagem do time de 2013. Porque ano que vem vamos completar dez anos sem ganhar absolutamente nada importante – tivemos chances de ganhar, mas no atual panorama, não temos time para disputar nem a Sula com condições de título, ao contrário do que o presidente tenta nos iludir.

Fora a situação da diretoria, também temos que apontar nossas críticas para o péssimo Celso Roth, que não serve para treinar nem um time de várzea do alegre Rio Grande do Sul. Não há o menor critério para a escalação dos jogadores, há sim a predileção por alguns que nunca rendem nada – como Willian Magrão e Marcelo Oliveira – e um trabalho que só serviu para criar um rascunho do que um dia pode vir a ser um time mediano.

Quanto aos jogadores, podemos dizer que a barca que tem que sair da Toca em dezembro dá para fazer umas 2 ou 3 viagens. É triste ver um Souza, que não tem utilidade nenhuma, ostentando a camisa 10 do Cruzeiro. Fora todos os outros já citados ao longo do ano.

Por fim, fica o recado deste PÉSSIMO jogo, como a grande maioria dos jogos realizados pelo Cruzeiro na temporada. Exijo pelo menos respeito pela instituição que amo e que é tão minha quanto de qualquer conselheiro.  Perder para a Ponte na alegre Campinas não é vexame, não é caso de fechar as portas, porque muitos times grandes vão lá e perdem, mas da maneira que perdemos, é de se sentir humilhado – o placar só foi magro pela ruindade do time deles.

Mesmo que este time não mereça, vamos lotar o Independência contra o Santos, é o nosso segundo retorno a Belo Horizonte e merece sim um público excelente. Porque nós amamos o Cruzeiro, nós levamos o Cruzeiro a sério e a nossa presença no estádio pode ser uma excelente ferramenta para iniciar uma mudança nesse caminho tenebroso que atravessamos.

(O que vocês acharam do jogo? Concordam? Discordam?)

Um excelente final de semana para todos vocês! E me desculpem se fugi um pouco do jogo, mas apesar de não ter valido praticamente e estarmos no limbo do Campeonato, tinha que fazer estas críticas.

Vamos, Cruzeiro!

Autor do post:
Pedro Oliveira

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

2 Comentários