O destino conduz o que consente e arrasta o que resiste [Portuguesa 0 x 2 Cruzeiro – Brasileirão 2012]

Minha quarta-feira começou com a seguinte frase PROFERIDA por Celso Roth: “Se jogar futebol, vamos ter dificuldade”. Somos o Cruzeiro e enfrentaríamos a Portuguesa, o América Mineiro de São Paulo. Num primeiro momento, é triste ver o nosso técnico dizer isso. Mas é assim que tem que ser mesmo porque o Cruzeiro está no início de um trabalho de conserto de muitos erros cometidos nos últimos meses. Inventamos de querer jogar futebol no momento errado só porque éramos líderes e perdemos três jogos seguidos tomando vários gols bobos. Jogamos com CAUTELA contra a Portuguesa, voltamos a vencer e a não sofrer gols.

O time celeste entrou no campo do Canindé com novidades. Ceará estreou e estreou com dignidade. Em terra de laterais improvisados, Ceará sem condição física ideal é rei. E na zaga, Mateus deu lugar a Rafael Donato. Com o Caveirão envergando a camisa 4, a expectativa era de muitos gols (para ambos os times). Mas, como Roth gosta de placares minúsculos, o treinador botou Leandro Guerreiro vigiando a zaga. Quando o Cruzeiro defendia, Guerreiro recuava para trás dos zagueiros e ficava na sobra. Grande ideia, visto que nossos zagueiros entregaram vários gols ultimamente. Donato também ficou o jogo todo IMPROVISADO na zaga e quase não foi ao ataque para utilizar seu dom de fazer gols, ficando apenas dando trombadas DE LEVE num atacante da Portuguesa que parecia o Josiel com toda a tranquilidade garantida pela cobertura de Leandro Guerreiro.

Pensando primeiro em não tomar gols, como bem prega a DOUTRINA ROTHIANA, nada fizemos no ataque nos 45 minutos iniciais, mas também não deixamos a Portuguesa fazer coisa alguma. Jogo feio no primeiro tempo, como tem que ser. Depois do intervalo, Wellington Paulista e Borges voltaram mostrando que tentariam finalizar qualquer bola vadia que aparecesse no ataque para fazer um golzinho que pudesse garantir os três pontos. Insistiram tanto que conseguiram. Já eram passados mais que 30 minutos do segundo tempo e Wellington Paulista exibiu sua GENIALIDADE, já conhecida pelos paulistanos desde os tempos em que ele surgiu na Mooca, dando um passe que encobriu os marcadores lusitanos e encontrou Borges na área. No desespero, o zagueiro da Portuguesa segurou Humberlito nos pneuzinhos, cometeu pênalti e foi expulso.

E chegamos ao PONTO ALTO DO JOGO: Wellington Paulista foi cobrar o pênalti, óbvio, e o destino, zombador que é, nos colocou torcendo por Wellington Paulista contra ninguém menos que Dida, um dos maiores ídolos da China Azul. Sabemos que Dida é um grande pegador de pênaltis, mas também sabemos que cobrar pênaltis é uma grande qualidade de Wellingol (talvez a única qualidade). Abrimos o placar, comemoramos muito e pedimos desculpas ao Dida.

Com um jogador a mais e com a Portuguesa vindo pra cima em busca de um gol, o Cruzeiro passou a contra-atacar com espaços. Montillo teve boas chances de marcar em seu centésimo jogo pelo Cruzeiro, mas quem fez o gol que garantiu a vitória foi Diego Renan. DIEGO RENAN FEZ UM GOL NO DIDA! O destino é um brincalhão.

Pelo menos Dida foi aclamado pela torcida cruzeirense que estava no Canindé em vários momentos da partida, com todo o respeito que merece de nós. O destino quis que o Cruzeiro vencesse Dida com gols de WELLINGTON PAULISTA e DIEGO RENAN. Um pouco de crueldade com um ídolo, mas era assim que tinha que ser.

A lição que fica é que não podemos fugir do destino. E nosso destino nesse Brasileirão é vencer jogando na retranca e achando gols no ataque.

Dá-lhe, CAUTELA!

Autor do post:
Rafael Igor

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

3 Comentários

  • Glaycon Lennon

    Ótimo texto , explicou bem como foi o jogo!!
    O cruzeiro jogou mal, mas o momento é de jogar mal, deixemos o futebol vistoso para quando der, quando o time estiver mais estável. O cruzeiro ganhou, mas necessitamos de reforços. Boa partida do D.Renan, porém não é confiável e n tem reserva para ele. Precisamos de um atacante velocista e de um meia para tirar o peso do Montillo, pode ser o Martinuccio, porém tem que sarar logo e não podemos acreditar tanto nele assim. Contrata diretoria e vamos nos associar ao clube torcida.
    Força Cruzeiro!!

    • Wellington Schettini

      Ficou mto bom o texto, uma síntese real do jogo com sacadas humorísticas e totalmente sagaz… parabéns.

      • Camila

        Quando o WP9 fez o gol de penalti eu pensei “normal, normal”, mas quando DR fez um gol eu sabia que estava tudo errado KKKKKKKKKKK O importante foram os 3 pontos.
        Tadinho do Dida )-: