Para começar bem o returno [Atlético-GO x Cruzeiro – Brasileirão 2012]

E aí, tudo azul?

Depois de um clássico com todos os tipos de emoções possíveis, o Cruzeiro vai à linda Goiânia enfrentar o Atlético Goianiense pela vigésima rodada  – também conhecida como primeira do returno – do Campeonato Brasileiro de 2012, o último antes do fim do mundo, nesta quarta às 22 horas.

E antes de qualquer coisa, suplicamos aos jogadores que joguem com a mesma determinação com a qual que jogamos contra o Atlético do Bairro de Lourdes, já que, por pior que pareça o adversário, ele está em uma ascendente e pode causar certos transtornos – venceu jogando bem o Guarani da Capital Paulista, o São Paulo, segurou o Atlético com um a menos e não está jogando mal.

No Serra Dourada, que parece ser um excelente estádio, a nossa torcida deverá ser maioria, já que a torcida do Atlético-GO praticamente não existe – consegue ser menor que a do América da Kombi. Só que isso não joga a nosso favor, já que é um estádio praticamente neutro, por suas dimensões ampliadas e pelo bom estado do gramado. E o jogador mais perigoso do time deles, acreditem, é o Ricardo Bueno, aquele mesmo que passou pelo nosso rival e conseguia ter atuações bem parecidas às que atacantes que seriam recusados até na várzea – como eu.

Há uma lenda urbana que corre em Goiás que o Atlético Goianiense, até por não ter muita torcida, não tinha condições de chegar à Primeira Divisão e ser um time encardido durante os campeonatos de 2010 e 2011. Dizem que o Carlinhos Cachoeira chegou até a se envolver em transações do time, como a contratação de um meia da Anapolina, o Felipe Brizola. Até houve uma história que o time era patrocinado pela Delta, conforme diz o blogueiro Cleuber Carlos, que é um especialista em futebol goiano. Prefiro não opinar sobre estas questões, mas, que vençamos o time pelo qual o Cachoeira torce, né?

Quanto ao nosso time, que não tenha um apagão como ocorreu em Curitiba. Com mais uma leva de desfalques – Ceará, William Magrão, Leandro Guerreiro, Mateus, Victorino e Fabinho -, temos que nos superar mais uma vez, com o Léo jogando pela direita, alguma improvisação na lateral-esquerda – que provavelmente será o Éverton –, um meio de campo alterado – esperamos que o Roth não invente o Sandro “Calamidade” Silva  como titular mais uma vez – e até o nosso ataque sofrerá mudanças – vá de Wallyson, Juarez -, há a preocupação pela eterna falta de entrosamento do time quando as peças mudam.

Para vocês terem ideia, estamos com o time tão quebrado que apenas o Árias não foi relacionado. Como ele é um jogador-fantasma e nunca será utilizado mesmo, todo o elenco disponível está relacionado. Qualquer lesão, mesmo que de um Marcelo Oliveira, é preocupante para o jogo do próximo domingo contra o Náutico, que ainda deve ser no Independência – até porque nem começaram o julgamento do Cruzeiro pelos incidentes ocorridos no clássico.

Com todo esse cenário desenhado, acredito que teremos mais uma guerra em Goiânia. Aliás, todos os jogos serão guerras até o final do ano. Todos os adversários são perigosos, lutam por alguma coisa na competição, seja o título, seja contra o rebaixamento. Todo mundo já se conhece a essa altura. Todos sabem que é só explorar os erros do Marcelo Oliveira e já comemoram pelo simples fato de o Roth ter relacionado o Sandro Silva para o jogo.

Só que nós também conhecemos os pontos fracos e fortes do Atlético-GO – aquele mesmo que imitou o escudo do São Paulo e os uniformes do Flamengo. Sabemos que o Eron – outro que já passou pelo time da Lourdeca – sobe como um inconsequente ao ataque, que, apesar de desconhecidos, os volantes deles sabem sair para o jogo e que o Márcio vive emulando o Rogério Sênior batendo todas as faltas possíveis e imagináveis – goleiros-artilheiros jogando contra o Fábio sempre me preocupam.

Com todo esse cenário, claro que acredito em uma vitória do Cruzeiro. Ainda mais que, teoricamente, a nossa tabela é uma das mais tranquilas do início do returno. Podemos fazer uma boa sequência e, considerando que nosso objetivo é uma vaga na Copa Sula Miranda “A Rainha dos Caminhoneiros”, já confirma-la sem demora. Daí podemos até lutar por uma Libertadores – por favor, me deixem sonhar – com esse time. Basta o time se empenhar em todos os jogos, evitando vexames como os que ocorreram contra o Grêmio e contra o Coritiba.

E o que vocês esperam do jogo e do Cruzeiro neste segundo turno? Coisas boas, ruins ou a instabilidade que insiste em reinar em 2012?

Vamos, Cruzeiro!

Autor do post:
Pedro Oliveira

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

2 Comentários