Pescando a estabilidade [Santos x Cruzeiro – Brasileirão 2012]

Sem tempo nem para reclamar da derrota. Assim é o campeonato brasileiro e ainda bem, pois uma quarta-feira sem Cruzeiro é um dia inútil. Portanto, devemos ficar felizes, já que hoje teremos a 15ª rodada do Brasileirão 2012. Santos e Cruzeiro se enfrentam na Vila Belmiro e o que se espera é que voltemos para casa com um peixe grande no balaio.

Único time a chegar perto do Cruzeiro em 2003, o Santos não é mais aquela máquina de fazer gols dos últimos tempos. Sem seus astros, que estão na seleção ou foram vendidos, o ataque da Vila vai de mal a pior. Para se ter ideia, o Santos é o único time que ainda não marcou dez gols no campeonato. Em nível de comparação, o Bahia, segundo pior no quesito ataque, marcou doze gols no Brasileiro, enquanto o Santos só fez nove. A explicação para isso é que as (poucas, muito poucas) contratações ainda não vingaram ou sequer estrearam e o que restou desse time sem Neymar e companhia foi um punhado de garotos que funcionam um jogo sim, três não. Parece aquele apanhado da sua rua, que num dia vence o campeonatinho do bairro e no outro não faz gol nem no time do seu irmão mais novo (de dez anos).

Só que o nosso time não é muito diferente disso. Nosso ataque está bem melhor, é verdade, mas não temos a desculpa de que nossos craques estão por aí. Temos jogado com o time completo e, ainda assim, oscilamos demais. Como dissemos no Twitter no domingo, o Cruzeiro não deixa a gente empolgar. E é exatamente essa a sensação. Roth decidiu apostar na manutenção desse time com Montillo e Wallyson abertos, Tinga vindo de trás e Borges centrado no ataque. Parece uma boa, mas acabou não funcionando contra a Ponte por erros individuais. Tivemos, por exemplo, um recorde de passes errados. Foram mais de cinquenta. Impossível qualquer tática dar certo se o individual fica tão abaixo da média.

Quanto aos desfalques, Celso Roth tem ao seu dispor quase o time todo. Quase, porque Willian Magrão sentiu dores na panturrilha e foi cortado de última hora. Apesar dessa ausência não trazer mudanças ao time que jogou os últimos dois jogos, o Juarez deve mexer na equipe. Com baixo rendimento há um bom tempo (e não por causa de drama, chororô e novelinha, que fique bem claro), Charles deve ser sacado para a entrada de Sandro Silva. Roth disse que com esse esquema ele pode soltar mais os laterais e, com a bola que Ceará e até Diego Renan tem jogado, acho uma boa escolha.

Já no Santos os desfalques são grandes. Com Ganso, Neymar e Rafael, todos na seleção, além de Edu Dracena, que está lesionado e não joga mais esse ano, os Meninos da Vila ainda podem ter a baixa de outro ex-cruzeirense: Henrique está com dores no púbis e vem jogando no sacrifício para tentar ajudar o Muricy, mas pode ser que dessa vez ele não aguente. O jogador não treinou nessa terça e é dúvida. Por outro lado, Arouca e Adriano devem voltar ao time.

Em situações normais, um empate na Vila Belmiro seria um bom resultado. Porém, com a situação atual do time do Santos, aliado à derrota do nosso time em casa para a Ponte, temos que fazer de tudo para voltarmos pra casa com os três pontos. Chega de time instável. Tá na hora de mostrar que aqui é Cruzeiro e que lutamos sempre pela ponta. Espero que o Cruzeiro pesque na Vila não só esse peixe, mas principalmente a confiança da torcida.

Saudações Celestes!

Autor do post:
Altieres Losan

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post