Por um pouco de regularidade [Cruzeiro x Palmeiras – Brasileirão 2012]

E aí, tudo azul?

Depois de uma derrota para o Gambá da Marginal Tietê que nos deixou um pouco desacreditados do time, iremos enfrentar o maior rival deles, o Palmeiras – vulgo Guarani da Capital Paulista – pela décima terceira rodada do Bolsa Família 2012. O confronto entre carcamanos acontecerá no Independência neste domingo no horário tão ruim quanto cerveja quente e não ter opção de tira-gosto no bar, o das 18:30.

No confronto com o Corinthians, o Cruzeiro não fez absolutamente nada em campo. A atuação foi tão tosca quanto a Globo apresentando imagens capturadas da internet para não citar a Record como detentora dos direitos de transmissão das Olimpíadas. O time foi péssimo, com destaque para a inutilidade de vários jogadores em campo, como o Willian Magrão, o Mateus e o Wellingol Paulista.

Mas nem tudo foi catastrófico. Vimos que temos limitações sim e que nosso objetivo no momento é uma vaga na Copa Sula Miranda. Só que nenhum jogador não pode cometer um erro como aquele cometido pelo Sandro Silva, que merece continuar com o nosso apoio independente do erro. O cara fez apenas dois jogos pelo Cruzeiro!

Enfim, tudo deu errado naquela quarta sinistra e era melhor terem cancelado aquele jogo, antecipassem alguma competição de badminton e transferissem de Londres para o Pacaembu. Sei lá, só não queria que tivesse acontecido o jogo daquela maneira. Eu odeio o Corinthians mais do que o Atlético de Lourdes e foi horrível perder aquele jogo daquela maneira apática. Só que isso é passado.

Vamos viver de futuro e o nosso futuro será contra o Guarani da Capital Paulista, que teoricamente é o maior rival do Curintia.

Bem, a primeira coisa que o Celso Juarez tem que fazer é mudar essa formação do ataque. Não dá pra jogar com dois atacantes mais lentos e com características mais voltadas para a finalização como o Wellingol e o Cyborges. Isso anula qualquer jogada lateral que não seja produzida pelos laterais do time – que tirando o Ceará, não são bons. É como ir a um forró onde todo mundo é solteiro, mas sobra apenas a sua irmã para você dançar.

O meio de campo não está rendendo o que queremos, mas o problema não seria apenas uma falta de qualidade na saída para o jogo ou uma ausência na velocidade, precisa ter entrosamento. Todo jogo o Roth altera um ou dois dos volantes e não pode ser assim. Pelo menos para se entenderem mais e tal. Toda hora vemos volantes batendo cabeça na marcação, ou na ausência dela. Isso tem prejudicado o time demais. No mais, o resto do time precisa é de entrosamento.

Eu tentaria manter a base quase toda do time de quarta, excluindo os suspensos e o Wellingol, com alguém que jogue mais fora da área.

A pauta agora é o nosso rival de domingo, a Sociedade Esportiva Guarani da Capital Viúva do Leite. Antes de qualquer coisa, queria dizer que estou revoltado. Sim, porque depois desse aborto da natureza no qual conquistaram a Copa do Brasil neste ano, todas as minhas piadas que eles só ganhavam títulos ajudados foram para o espaço. Isso tudo é culpa da Rita, na moral.

Mas enfim, todo mundo sabe que o Palmeiras vive em crise. Tudo é motivo para crise lá nos lados da Barra Funda. A Nina virou o jogo contra a Carminha? É crise no Palmeiras! A Dilma ainda está em Londres? É crise no Palmeiras! Você tirou aquela nota baixa e seus pais vão ficar chateados? É crise no Palmeiras para derrubar metade da diretoria!

O elenco deles é bem fraco e não tem muitos jogadores de nome. É um time operário, como o Felipão – meu ídolo – gosta de ter em mãos. Gosto do Obina, mas acho o Valdívia a maior enganação do futebol mundial. É um Adriano Gabiru que fala espanhol, só faz uma jogada medíocre – aquela de dar o chute no ar –, toma cartão toda vez que joga, arruma mil problemas fora de campo e é a maior chiliquenta que já vi jogar em toda a minha vida.

Os laterais são medianos – o Juninho, que é o melhor, está suspenso – e a zaga deles está quebrada – o Thiago Heleno faz falta lá, acreditem. Mais um motivo para entrarem em crise mais uma vez e isso ser o destaque dos dez minutos tradicionais aos quais eles “têm direito” no Jogo Aberto da Band.

Enfim, temos condições reais de vencer, só basta o time jogar com vontade. Mas eu não quero uma simples vitória não, quero que o Cruzeiro passe o carro sem dó nem piedade. Um 2×0 estaria excelente, o que vocês acham?

Que o Cruzeiro vença tranquilo e embale novamente. Que tenhamos um pouco de regularidade no Campeonato, não é?

Nos vemos no Independência!

Vamos, Cruzeiro!

Autor do post:
Pedro Oliveira

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

1 Comentário