Só argentinos salvam! [Cruzeiro 3 x 1 Bahia – Brasileirão 2012]

Com uniforme branco e MESSINUCCIO inspirado, não tinha como dar errado. (Foto: Washington Alves/VIPCOMM)

Pessimistas, pensem bem! O Cruzeiro não correu risco de rebaixamento em nenhum momento nesse ano. Mentira, corremos risco em um momento só: No intervalo do jogo contra o Bahia. Estávamos perdendo por 1 a 0, enquanto o Sport vencia o Figueirense pelo mesmo placar, e a diferença para a zona de rebaixamento era de apenas 4 pontos. Se terminasse assim, com 3 rodadas pra terminar o campeonato, aí sim a coisa ficaria feia pela primeira vez (e no pior momento, diga-se). Mas não ficou. Não devemos nos orgulhar da campanha do Cruzeiro, porém sofrer mesmo sofremos no ano passado, não nesse.

O Cruzeiro entrou no gramado da Independence Arena vestido todo de branco. Sabemos bem que quando isso acontece significa que a porra ficou séria e os jogadores estão empenhados em mudar a situação. E também nada mais apropriado que jogar com o uniforme pai de santo contra o Bahia. Embora o Cruzeiro tenha começado o jogo bem, puxado por FABINHO, que sabe-se lá como resolveu que ele deveria assumir a responsabilidade de levar o time à frente na ausência do suspenso Montillo, foi o Baêa que abriu o placar. Daí a torcida que apoiava começou a vaiar e por pouco não gritou o nome de FAHEL. Enquanto isso, Hernán Alejandro Martinuccio chamou a responsabilidade porque Fabinho não era o mais indicado para ser o cara do time por motivo de FALTA DE ENVERGADURA. Simplesmente com o intuito de oferecer um aperitivo do que estava por vir, Martinuccio acertou um tirombaço no travessão logo após o gol sofrido.

O intervalo foi tenso porque não entendemos o sinal que Alejandro deu. Mas logo aos 8 minutos da etapa complementar, a bola foi desviada para o segundo pau numa cobrança de escanteio (até pareceu que esse time treina direito) onde estava ele, Martinuccio, para dar uma chicotada na bola e empatar o marcador. Aí, como previsto, a torcida voltou a jogar junto, o Cruzeiro se empolgou e, mesmo com Fábio tendo que trabalhar um pouco, a virada celeste era questão de tempo. E ela não poderia vir de outro jogador que não Martinuccio. E foi num golaço. Anselmo Ramon fez um lançamento perfeito (!!!) e o portenho pegou na veia, sem deixar a pelota cair, estufou a rede e saiu pro abraço. SÓ ARGENTINOS SALVAM NO CRUZEIRO! Deve ser alguma influência da ascendência de Perfumo e Sorín com o manto celeste. Se a CBF permitisse, o planejamento do Cruzeiro para 2013 deveria ser montar um time só de jogadores argentinos.

Ainda tivemos tempo de ver WILLIAN MAGRÃO FAZER UM GOL DE COBERTURA, algo que na realidade não deve ter acontecido. Deve ter sido alguma alucinação por estarmos em êxtase pela virada e pela confirmação de mais um fracasso atleticano. Enfim, esse domingão provou, mais uma vez, que só tem um time em Minas que consegue ganhar títulos e que nunca cai.

Não quero e não devo encerrar este texto sem antes registrar a participação de gala de Wellington Paulista, comprovando que ele é um personagem que nasceu para o protagonismo do espetáculo do futebol. Na reserva, Wellingol levou aquele cartão amarelo que ele tanto gosta enquanto fazia aquecimento. E mesmo entrando depois dos 40 do segundo tempo, ainda teve tempo de fazer uma jogada de efeito logo na primeira vez que encostou na bola, tentando fazer um gol de voleio de fora da área. Não tem como não ser fã.

Abs.

Autor do post:
Rafael Igor

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

2 Comentários

  • naiana

    bom demais, ontem eu cheguiei a ter medo durante o intervalo, mas quando meu pai falou do empate e depois da virada, eu tive mais uma vez a confirmação…
    TIME GRANDE NÃO CAI!!!

    • stretch kramer

      o CRUZEIRO as vezes me decepciona mas o atetico nunca …..Fabinho esta de parabens pela entrega dele no jogo tambem e descobrimos finalmente um belo batedor de faltas com um pouco mais de treino sera o nosso assuncao