É no passin, no sapatin…

Chicarito Hernane marca no último minuto e se consagra!

(…)
E aê, seus mulambo! Beleza?! É, rapaziada… tá duro o osso e com as invenções de Dorivaldo, o Treineiro, a Magnética ainda vai penar um bocado enquanto a equipe não der aquela liga, aquele entrosamento decente. Ontem, lá pelas bandas de Moça Bonita, o Mais Querido do Mundo encarou o simpático Volta Redonda pela 3ª rodada do ingrato Campeonato Carioca de 2013. Estréia de dois reforços, Elias e João Paulo, o time dá sinais de que é possível evoluir com mais reforços pontuais, seguindo a cartilha financeira do Seu Pelô, que segue buscando um atacante de função enquanto o Nixon procura o seu melhor futebol. Seja lá qual buscar terminar primeiro, melhor pra gente.

Pra começo de conversa, quando um meia acerta todos os 33 passes na estréia, caso do nosso novo camisa 8, é um bom sinal. Fica melhor ainda quando o lateral recém-chegado faz o que se espera de um jogador dessa função: vai até a linha de fundo e faz um cruzamento decente na área. Ainda não se pode dizer muito sobre a marcação, mas no quesito qualidade do passe e ofensividade, João Paulo tem tudo para colocar o bisonho Ramon para sempre no banco. Ou pelo menos até a hora de voltar de onde nunca devia ter saído: a ponta feia da Dutra, lá no time do Lula. Porém, nada de muito entusiasmo. Estamos de olho e nada melhor que um duelo com nossa baranga bigoduda preferida para separar homens de meninos.

E falando na garotada, é notável o desempenho do moleque Rafinha. A cada partida ele vai se soltando, ficando mais ousado e abusado, dando muito trabalho para os marcadores. Mas falta uma sustança, um reforço muscular ou qualquer coisa que o faça suportar 90 minutos de futebol corrido. Nos 20 minutos finais da partida, o piá tropeçava nas próprias pernas, com um palmo de língua pra fora. Mas nada que atrapalhe seu visível amadurecimento no futebol profissional. Sem caça às bruxas, mas ainda bem que a camisa 10 tem um dono, pois o Nixon ainda não disse a que veio e o Thomás, apesar de consciente e disciplinado taticamente, parece que está sempre com sono. Acorda, rapaz!

Mas o destaque vai mais uma vez para ele, Chicarito Hernane, candidato a xodó de verão da torcida, pelo menos enquanto um centro-avante mais cascudo não pinta na Gávea. É limitado, está longe de ser craque, mas não é qualquer um que consegue ser vilão e herói rubro-negro na mesma partida. Taí o Deivid que não me deixa mentir. Quantas pessoas não xingaram até a 13º geração do cara, depois dele perder o gol embaixo da trave?! Mas o destino sorriu, uma bola espirrou, ele girou e chutou no canto esquerdo do goleiro, sem chances de defesa. E o que parecia mais um empate insosso para a conta de Dorivaldo – que ainda insiste com Renato Abreu e MimimIbson no time – se transformou em vitória e uns dias de tranquilidade até o clássico.

Nesses tempos de transição, ser Flamengo não tem sido lá muito fácil. Mas, quem é sabe que é justamente quando todos duvidam do rubro-negro que ele ressurge, ainda mais poderoso, ainda mais letal e fazendo jus ao mito de que se deixou chegar…

Últimas Inacreditáveis: Vagner Love fez um curso via correio de Gestão Esportiva e anda jurando de pé junto que, após a vitória e eleição da nova diretoria, a situação financeira piorou muito. Verdade… deixar de te pagar R$ 1 milhão para perder gol embaixo da trave – já temos o Hernane pra fazer isso por muito menos – deve ter sido muito nocivo financeiramente falando, especialmente em sua conta corrente. Fico comovido com tanto amor ao Flamengo, cara. Favor morder a testa e jogar o futebol elegante do CSKA aí no frio da Sibéria. Meus parabéns a todos os envolvidos.

MimimIbson comprou uma briga na hora errada, com a turma errada. Não que o jogador não tenha direito de protestar contra a diretoria e sua política salarial. Isso é perfeitamente possível e aceitável. O problema é que se você ataca quem vem claramente mostrando que está trabalhando sério e não dá um motivo excepcional que justifique tamanha incoerência, a galera vai cobrar, vai pegar no pé. E o que temos é isso: nosso camisa 7 ontem errou apenas UM passe, mas saiu vaiado. Valeu a pena, filho?! Acho que não.

Autor do post:
Urubaldo Jr.

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post