Caldeirão em fervura

  Esse texto é para aquela pessoa que chegou agora, nesse exato instante, ao planeta. É pra explicar isso que ela viu acontecer no estádio Olímpico não acontecerá em nenhum outro lugar do planeta. “Mas o que?”, você pode perguntar. Ora, vários estádios do mundo lotam toda a semana. Mas nenhum terá a atmosfera ou o charme de um Olímpico lotado, com todos cantando juntos, empurrando o time.

  E foi assim que começou o jogo. Algo entre 46 mil e 51 mil pessoas empurraram o time nos primeiros 20 minutos. 20 minutos de puro massacre contra o Atlético-GO. Uma bola na trave, duas outras chances de gol até que Elano cobrou uma falta de forma magistral. 1×0. Antes destes 20 minutos mágicos acabarem, Elano ainda faria outro, depois de uma linda jogada de Zé Roberto. Parecia que haveria uma goleada para presentear a torcida. No entanto, apareceram os vilões da “peça”.

  O juiz já estava atrasando o jogo, marcando faltas a todo o momento. Então, em um lance limpo o larápio marcou falta na entrada da área. O goleiro do Dragão, Márcio, cobrou rasteira e milagrosamente Grohe defendeu. Talvez essa defesa monumental tenha paralisado nossa defesa, pois 4 jogadores erraram em bola e ela sobrou para o jogador do Atlético-GO tocar para o fundo das redes.

  A partir desse momento, o Grêmio se apagou. Não conseguimos mais criar direito, começamos a errar passes em demasia, o Dragão começou a gostar do jogo. E fomos assim até o fim do jogo. Com certeza a melhor notícia da noite foi a vitória. Três pontos na conta e continuamos nossa perseguição ao líder, que hoje tropeçou novamente. Nos resta secar o Fluminense amanhã, e quem sabe no fim da próxima rodada seremos líderes?

  A partir de agora seria fundamental a repetição desse caldeirão que vimos no Olímpico. Não pelo time, não pelo Campeonato, mas pelo Olímpico mesmo. Temos menos de 10 chances de repetirmos a atmosfera venenosa que esse estádio é para os visitantes. Praticamente um caldeirão em fervura. E, se continuarmos assim, cozinharemos tudo e todos.

Alento sempre, dá-lhe Grêmio!

Autor do post:
Matheus Martins

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post