Vencer ou vencer

Não há – honestamente – nenhuma outra opção que não essa para a Ponte Preta nessa altura do campeonato.

Já são mil – na verdade seis – rodadas que isso não acontece e o resultado está bem visível: da primeira parte da tabela estamos no limbo da segunda e embora sem grandes riscos, próximos da Z4. Não dá né?!

Não temos o melhor elenco, não sei qual é desse novo técnico, mas na boa… sem desculpinhas que o saco já está na lua. Tem que entrar, mostrar que vale o que ganha e boa. Ninguém aqui está pedindo que neguinho seja o melhor do mundo, artilheiro, bola de ouro nem porra nenhuma do tipo. É só o mínimo: não – com o perdão da palavra – cagar no jogo. Não acho que seja tão difícil. Meu irmão que nem jogador profissional é consegue fazer isso jogando uma vez a cada seis meses… cara que TREINA e GANHA pra isso não deveria ter esse tipo de dificuldade.

Então boar criar o MÍNIMO de vergonha na cara e jogar um futebol decente que conquiste os três pontos. E que seja assim daqui pra frente.

Ponte Preta x Náutico

Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP) 
10 de outubro de 2012, quarta-feira – 19h30 (de Brasília) 
Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (ambos do RJ)

PONTE PRETA: Edson Bastos; Cicinho, Ferron, Diego Sacoman e João Paulo; Baraka, Wendell, Lucas e Nikão (Luan); Rildo e Roger – Técnico: Guto Ferreira

NÁUTICO: Felipe; Patric, Alison, Jean Rolt e Douglas Santos; Josa (Rogerinho), Martinez, Souza e Rhayner; Rogério e Araújo – Técnico: Alexandre Gallo

Autor do post:
Natália Jonas

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post