“Demos o nosso máximo, mas não conseguimos.”

Amigos da nau lusitana,

As palavras cima foram proferidas pelo capitão do barco lusitano Valdomiro logo após o final da partida.

Em entrevista às rádios, o capitão disse: “Tentamos, demos o nosso máximo mas não conseguimos. Demos o nosso limite”.

Levando em consideração que enfrentamos a melhor equipe da competição (na opinião deste que vos escreve), com vários desfalques (se bem que muitos dos desfalques são verdadeiros reforços para nosso time) e improvisações, o resultado dói mas racionalmente falando esta dentro de uma normalidade.

Depois de um primeiro tempo arrasador, marcando pressão e não deixando o time do Botafogo jogar, mais uma vez vimos nossos atletas desperdiçarem várias oportunidades de gol por falta de qualidade.

No segundo tempo, depois de uma tremenda pressão em cima do árbitro, nosso time não voltou com a mesma pegada e o Botafogo adiantando suas linhas encontrou espaço para armar jogadas.

Mas quis o destino que o primeiro gol do jogo saísse em uma falha mortal numa cobrança de escanteio: Lauro saiu e ficou no meio do caminho (nem interceptou a cobrança nem tinha condições de tentar a defesa) e Rogério não saiu do chão tanto quanto Bolívar.

Depois de sofrer o gol, nosso time voltou a jogar e foi pra cima da equipe carioca em busca do empate.

O gol era questão de tempo.

Jean Mota sofreu penalti não marcado (recebeu ainda uma dura do Luis Ricardo para ter se atirado quando foi deliberadamente puxado por seu marcador) continuou na jogada e ainda conseguiu chutar para boa defesa de Jéfferson.

Mas quis o destino que na cobrança do escanteio originado neste lance saísse nosso empate.

Estávamos de volta a partida.

Ou não ?

40 segundos após empatar a partida, um buraco pelo lado direito da nossa zaga (mais uma vez !!! mudam-se as peças mas as falhas são sempre as mesmas) Rafael Marques fuzilou Lauro.

Guto fez o que pode e colocou em campo o time mais ofensivo com jogadores que tinha em mãos (Héverton – ELE mesmo !, Michel e Neilson).

Sinceramente, nenhum dos 3 acrescentou nada de positivo ao time que, exposto aos contra-ataques, ainda levou o terceiro gol (novamente pelo miolo direito da nossa zaga) onde Corrêa chegou a tomar a frente do jogador do Botafogo mas não foi capaz de realizar a intercepção da jogada, com mais uma falha de Lauro a meu ver.

Findou-se mais uma rodada (que em termos foi positiva para nossa Lusa), mas fica claro a cada partida a falta de maturidade que este time tem.

Falta qualidade e jogadores muito limitados que não tem condições de vestir nossas cores e nos representar.

Lauro depois de uma semana de herói (contra Flamengo e São Paulo) voltou a ter o seu dia de Calaça e falhou em dois gols.

Corrêa mais uma vez na minha opinião afundou nosso time e virou uma avenida no segundo tempo da partida, falhando no terceiro gol, além de não apresentar nada de positivo enquanto esteve em campo.

O time mudou muito nas mãos de Guto Ferreira, isto é fato.

Agora, sem ovos, não se faz omelete !

O time precisa de reforços de qualidade e com urgência, enquanto à tempo de se salvar neste campeonato.

Com a palavra, a diretoria rubro-verde e seus comparsas…

Autor do post:
Rodrigo Guilhoto

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post