Esta vitória é nossa

Jogar uma Série A2 do Campeonato Paulista é muito complicado, sobretudo para uma equipe como a Portuguesa. Além do amargor do rebaixamento de um campeonato cujo nível já é discutível, arrebenta com o planejamento do início do ano, o que pode refletir em toda a temporada.

Os adversários que a Lusa teve pela frente são péssimos, mas já estavam num estágio de preparação adiantado quando o time do Canindé se reapresentou para o início da temporada. Daí, até equilibrar as coisas, já perdeu pontos que não perderia, além da confiança do torcedor.

E tem a questão financeira, pois um time como a Portuguesa precisa de uma base para começar a disputa da elite do futebol nacional, mesmo tendo à disposição a fabulosa cota de R$ 112 mil para o Paulista todo. E isso interfere no rendimento dentro de campo. E mais gente duvida. A hombridade é posta à prova.

No entanto, o elenco da Portuguesa é composto por homens, por pessoas responsáveis, por pessoas de bem. Era obrigação subir? Sim, era, pois a Portuguesa é grande demais para estar onde estava. E foi feito. Subimos. Subimos com brio, com garra, com o gol da vitória marcado aos 45 minutos do segundo tempo por um jogador que quase não foi inscrito a tempo de jogar o campeonato.

 Torcedor da Lusa, esta vitória é nossa.

Autor do post:
Marcos Teixeira

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

2 Comentários

  • Mauro

    Muito bom seu comentário. Absolutamente sóbrio e coerente, consistente com a realidade (e não com o que gostaríamos que fosse a realidade).
    Este campeonato foi marcado e manchado decisivamente pela goleada contra o Comercial. Mas sempre devemos lembrar que o estrago MESMO foi feito no ano passado, com o rebaixamento.
    Neste ano, o melhor que poderia ter ocorrido foi mesmo o que ocorreu. Jogamos, subimos, acabou.
    Indo com um amigo para Capivai, comentei que deveríamos encarar o jogo de 4a feira como o encerramento de uma “missão”. A missão de retornar, esperamos que definitivamente, da série A2 do Paulista.
    Missão cumprida. Amanhã me darei uma folga, não me verão no Canindé.

    • Marcos Teixeira

      Pois é, Mauro. Não adianta ficar gritando, amaldiçoando as coisas. Tudo o que fizermos, se tomados pela emoção, será mal feito, exagerado, não dará certo. Agora é sacudir a poeira, aprender com os erros, de uma vez por todas, e trabalhar. Obrigado pela atenção.