Uma tarde de domingo no Canindé…

Amigos da nau lusitana,

Neste domingo, dia dos pais, foi um dia mais que especial para ir ao Canindé acompanhar nossa Lusa.

Salvo as memórias e a saudade doce daquele que um dia adentrou as alamedas do Canindé comigo em seus braços me ensinando a amar essas cores e o escudo desse clube, resolvi refazer esse trajeto com minha filha, hoje com 4 anos nos braços.

Ela já havia estado no estádio em outras oportunidades, inclusive acompanhando o capitão Marco Antonio erguer o troféu do Brasileiro do ano passado numa sexta-feira gelada no Canindé.

Tudo estava pronto para ser um dia muito especial. Churrasco com a família no esquenta durante o domingo de sol, e no final da tarde, rumamos para o Canindé eu, minha esposa e nossa filha, que não falava em outra coisa desde a sexta à noite: Queria ver a Lusa e o seu Leão acenar para ela em campo.

Chegamos ao Dr. Osvaldo Teixeira Duarte por volta das 17hs.

Entramos pela rua Azurita e paramos nosso carro no estacionamento do clube.

Eis que surge a primeira surpresa do dia: R$ 20 de estacionamento, e não existe desconto pra sócio !

Mas as surpresas não pararam por ai. Para acessar a área do estádio, tivemos que sair pelo portão onde adentramos com o veículo, voltando para a rua e acessar a área do estádio por um portão lateral pequeno e acanhado.

Até então, tudo era motivo de festa para minha filha, que brigou comigo por ter esquecido o bandeirão da Lusa em casa.

Após visitar a loja da Lusa e acompanhar a ação promocional de um dos patrocinadores do clube próximo ao campo de areia, decidimos entrar no estádio.

Ao passar pelas catracas, qual não foi a minha surpresa ? Um funcionário (que me pareceu ser o responsável pela entrada do portão 10) disse que eu deveria retornar até a bilheteria e comprar o ingresso para minha filha de 4 anos ! Achei aquela informação um verdadeiro absurdo e um impropério, ao questionar onde estava esta lei, ele me mostrou um “papel de pão” da empresa responsável pela comercialização dos ingressos onde dizia que de ZERO (isso mesmo amigo luso, de ZERO) à DOZE anos, se pagava meio ingresso.

Totalmente contrariado e indignado, me dirigi até a bilheteria, cuspindo marimbondos mas não iria estragar o meu dia dos pais muito menos a alegria de minha filha de 4 anos em ver a Lusa em campo e comprei seu ingresso.

Na arquibancada, tudo era festa para ela, que impaciente, queria que o jogo começasse logo e o leão entrasse em campo.

O Leão entrou, acenou para ela na arquibancada, que, com o começo do jogo, comeu salgadinho, jogou no celular e, torceu como nunca com a torcida Lusa, vibrando até com as músicas entoadas por nossa Leões da Fabulosa.

No final, a pergunta da minha filha foi: Pai amanhã quero de novo vir ao Canindé para ver a Lusa e o Leão !

No fim, o dia dos pais ficou marcado pela saudade nostalgica de meu pai, acompanhado da felicidade da minha filha em ver a Lusa, somado a INDIGNAÇÃO com a cobrança de meia entrada para crianças.

Ah, o jogo ? Isso pra mim ontem, foi o que menos importou no final das contas. Mais uma vez fomos CLAMOROSAMENTE prejudicados pela arbitragem (vale ressaltar que o Sr. Héber Roberto Lopes que estava suspenso pela CBF mas conseguiu um efeito suspensivo para apitar a partida de ontem e também do Fluminense no meio de semana que se passou) já havia nos prejudicado na partida contra o Vasco não marcando uma outra penalidade clara sobre nosso jogador.

Até quando nossa BRAVA e RETUMBANTE diretoria especialista em esquecer a torcida Lusa irá assistir de camarote os erros de arbitragem contra nossas cores ???E não me venham com essa de que sempre foi assim…um dia, temos que fazer com que as coisas mudem !!!

E que seja logo !

Autor do post:
Rodrigo Guilhoto

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post