Um outro lado do acesso.

Paysandu subiu e olha só a montagem que apareceu em seguida no facebook. Até quando a reclamação ficará só no dizer? Quando ela se tornará real? (Foto: Acervo de Imagens Azulinas)

Hoje é um dia que o remista deveria começar a pensar em recomeço.

Hoje é um dia amargo na vida de qualquer remista, e não adianta negar. No fundo, no fundo, o torcedor azulino não queria que o Paysandu subisse e estava com piadas preparadas para zoar os bicolores, ou não, só estavam esperando aquelas rotineiras montagens que compartilham no facebook.

Também não adianta dizer que secar o nosso maior rival é coisa de quem não tem time pra torcer. Esse discurso deles é como aquela velha e hipócrita frase que diz “Quem seca merda é sol”. No futebol, e em se tratando da rivalidade RExPA, é quase impossível não secar. Por mais que não se veja uma TV ou escute um rádio, o resultado sempre é esperado com muita expectativa e isso vale para os dois lados da almirante barroso.  Deixem os bicolinos curtirem a euforia deles. Fizeram por merecer, e se chegaram lá, foi por mérito e garra de um time basicamente regional, com um técnico que fez história como jogador e agora borda seu nome como o comandante do acesso esperado por eles há tanto tempo. Precisamos pensar no lado de cá.

O lado do sol. O nosso lado. O que fizeram com o nosso Remo? Égua da pergunta que nos atormenta… Égua da resposta que nos aflige… Simplesmente fizeram do nosso Remo uma imagem que nenhum clube que se prese deveria ter. Simplesmente tornaram o Remo um palco de disputas de ego, ganância, intriga, politicagem, atraso e etc. Transformaram o nosso clube em um circo onde nós torcedores somos a atração principal. É de nós que riem. Somos nós que aguentamos as consequências de todas as irresponsabilidades e incompetências de grande parte dos nossos dirigentes. E o que fazemos para mudar isso? Ficamos rindo das desgraças bicolinas? Ficamos compartilhando fotos de apoio ao Remo? Compramos todos os ingressos de um jogo? Há quanto tempo fazemos tudo isso? Há quanto tempo que as pessoas que comandam o nosso clube passaram a nos ver apenas como massa de manobra que compra ingresso de qualquer joguinho? Há quanto tempo está impregnado no Remo a ideia defasada de que só pagar ingresso ajuda em algo? Pagar ingresso ajuda, mas não é o principal. Precisamos de gestão, de responsabilidade, marketing, diretoria e trabalhadores competentes que desempenhe bem cada função, por mais simples que seja, mas que faça uma grande diferença pelo conjunto todo.

Que o acesso do Paysandu sirva para despertar nos torcedores do Remo a vontade de mudar, de fazer a diferença. Que sirva para atiçar o protesto, os pedidos de mudança, a busca pelas eleições diretas, o engajamento político, a arte de pensar e acima de tudo, A-T-I-T-U-D-E. Atitude. É disso que o Clube do Remo precisa. Não quer as múmias lá? Que tal se associar e ficar no lugar delas? 😉

SAz!

Autor do post:
Milene Sousa

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

1 Comentário

  • Andrey

    A primeira coisa que tem que mudar são os gastos, parar de contratar e usar o time de base, pegar o pessoal do interior, se perder… perdeu, melhor que perder e se afundar em dívidas.