A formação de um time campeão

Um primeiro turno quase que perfeito e uma segunda metade de campeonato decepcionante. Em poucas palavras, é assim que podemos definir até agora a Série B para o Esporte Clube Vitória.

O Leão era líder, tinha o artilheiro do Brasil, um futebol promissor e destaque no cenário nacional pela facilidade a qual estava liderando a segunda divisão. Do nada tudo desandou e o dito ‘’melhor time e elenco da competição’’, hoje ganha um rótulo de ‘’amarelão’’.

Estamos deixando escapar um título inédito, e sim, importante para a história do clube. Título esse que começou a ser perdido com vários boatos de insatisfação ao passar dos dias, mas será que o problema da queda de rendimento não estaria na formação do time, que não tem em seu elenco jogadores acostumados a levantar taças?

‘’Um time campeão começa a ser construído com jogadores acostumados a ganhar títulos’’, disse o técnico Abel Braga, após o Fluminense se tornar tetracampeão do campeonato brasileiro ao vencer o Palmeiras por 3×2, neste domingo (11).

Se isso pesou na reta final da Série B, talvez não saibamos. A verdade é que não temos um time no qual os atletas são campeões. Pelo contrário, esse atual grupo acumula derrotas em seu currículo.

 

Esperamos no mínimo o acesso para a Série A.

Derrotas acumuladas

Se voltarmos um pouco no tempo, podemos observar que as principais peças do rubro-negro são oriundas de uma época nada saudosa. Derrotados em 2010 quando o Vitória chegou à final de Copa do Brasil de forma até convincente, mas caindo para um Santos que tinha jogadores de seleção brasileira como Robinho, Neymar e P.H. Ganso que, na época, jogavam o melhor do futebol nacional.

No mesmo ano, de forma até inesperada veio o rebaixamento. A grande prioridade era a Copa do Brasil, que fez o então técnico Ricardo Silva poupar os principais jogadores durante as primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro. O resultado não demorou de aparecer, aliás, apareceu. A fuga desesperada do rebaixamento se tornou o grande ‘’calo’’ do Leão em 2010.

O último embate seria contra o concorrente direto: o Atlético-GO. O clima era favorável, Barradão lotado, animado e esperançoso. O Vitória só precisava de um triunfo simples, mas nada ajudou e o resultado todos nós já sabemos.

Matematicamente ainda temos chances de levantar a taça da Segunda Divisão, mas esse título já poderia ter chegado e agora está no colo do Goiás, que fez um final de campeonato incrível.

A verdade é que o Leão não tem em seu elenco jogadores campeões e isso pesa sim numa reta final de campeonato, pois a experiência é fundamental num momento decisivo. Talvez o Esmeraldino também não tenha um time com grandes conquistas, mas soube crescer no momento certo. Resta saber P.C Gusmão e cia vão presentear o torcedor neste final de temporada pelo menos com o acesso, que era fácil, mas está se tornando dramático.

 

Autor do post:
Flávio Sande

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post