Alma de Campeão

A alma de campeão parecia que estava ali diante de nossos olhos. Esse foi o sentimento que o torcedor rubro-negro teve  ao ver o Vitória fora de casa goleando o Goiás ainda no primeiro tempo.  Equipe rápida, artilheiros ligados fazendo os gols do Leão, a torcida em paz com o time, goleada a vista e a liderança  estaria diante de nós, um grupo com alma de campeão.

Não senhores, os fantasmas de equipe pequena reapareceram e o Vitória pregou uma grande peça em sua torcida, na imprensa de seu Estado e nos próprios comandantes, após estar vencendo por 3 x  0, levou uma virada histórica e perdeu por 4 x 3. O que dizer em um momento desses? Dos males, o menor! Ainda estamos no G4.

O Leão não conseguiu trazer os 3 pontos para casa.

Não senhores, nada disso! A torcida do Vitória foi tirada como otária. É inadimissível perder dessa forma. Um time profissional não pode estar vencendo por 3 x 0 e depois não saber segurar o resultado com o adversário ali abatido e já derrotado em campo, que toque-se a bola, que façam-se mais gols. Não tem perdão ou algo do tipo, que possamos logo esquecer essa apresentação pífia do elenco que teve 11 dias pra trabalhar posicionamento, ataques, jogadas ensaiadas e tudo mais, e que no momento de executar os ensinamentos do treinador, simplesmente foi absurdamente irresponsável.

Uma equipe que deseja figurar na Série A não pode cometer esses erros, essa displicência irritante termina afastando dos nossos corações a confiança depositada no clube, no que diz respeito ao mesmo fazer frente as principais equipes do Campeonato Brasileiro da Série B em 2012.

O que esperamos é que a equipe devolva essa derrota ao próximo adversário no Barradão, e que fora de nossos domínios, a luta e a eficiência sejam as companheiras da equipe, trazendo pontos e tranquilidade, pois com  essa tranquilidade é bem mais viável conseguir uma campanha de sucesso, sem ser pressionado , fazendo os resultados de cabeça erguida e conquistando o status do clube vencedor que queremos ver daqui pra frente.
Autor do post:
Jorge Sacramento

Deixe seu comentário

(Obrigatório)
(Obrigatório, Não será publicado)
Notificar por e-mail

Seja o primeiro a comentar este post